Empreendedorismo

Empreendedorismo

tudo o que você precisa saber em um só lugar

Blog   ·   15/10/2019   ·   ​110 minutos

Empreendedorismo

Palavra da moda, o empreendedorismo ganha cada vez mais espaço no Brasil.

De acordo com os dados divulgados pela Serasa Experian, empresa que faz análises e informações para decisões de crédito e apoio a negócios, 2,5 milhões de novas empresas foram criadas no país em 2018, um crescimento de 15,1% em comparação com o ano de 2017.

É justo afirmar que, além do sonho da casa própria, o sonho da “empresa própria” passa a fazer parte do imaginário do brasileiro.

Em um país com mais de 12 milhões de desempregados, o empreendedorismo pode surgir como uma alternativa para geração de renda.

Mas é importante lembrar que abrir o próprio negócio não pode ser uma decisão tomada apenas por falta de opção ou porque foi demitido e não conseguiu encontrar outra oportunidade no mercado de trabalho.

É preciso refletir e estudar muito o mercado em que se deseja investir e saber reconhecer oportunidades para não cair em uma furada.

Decisões precipitadas ou tomadas em momentos de desespero podem ser uma armadilha e todo empreendedor deve fugir desse tipo de atitude.

Para se abrir uma empresa, é preciso ter boas referências de empreendedorismo, entender o produto ou serviço que serão prestados, o mercado consumidor para esta área e também contar com profissionais de confiança.

Além disso, com toda a burocracia que existe no país, o apoio de um advogado e um contador serão fundamentais na hora de dar início ao próprio negócio.

O que é empreendedorismo

É difícil definir esta palavra em algumas linhas de texto, mas para resumir, o empreendedorismo é a capacidade de identificar oportunidades e investir na solução de problemas e na criação de negócios que possam gerar mudanças e impactar de maneira positiva um determinado segmento de mercado ou serviço.

O que é empreendedorismo

Pode parecer simples, mas esse conceito vai muito além de uma simples definição.

Para ter sucesso no empreendedorismo, é preciso disposição e vontade para inovar e questionar o mundo a todo o momento, pensando sempre em como melhorar determinada situação ou mercado.

Qualquer pessoa pode ter esse espírito empreendedor em qualquer ambiente.

Na empresa em que você trabalha, assumir uma função estratégica e tomar decisões que levem projetos importantes adiante pode ser uma característica deste perfil.

Até mesmo dentro de casa, quando existe a necessidade de fazer uma obra que vai otimizar um espaço ou gerar novos cômodos, tudo pode indicar que a pessoa tem o “feeling” para o empreendedorismo.

Quando esse espírito é levado para o ambiente empresarial e a criação de novos negócios, o empreendedorismo pode gerar um grande impacto social, gerando empregos e aumentando a renda de famílias e, porque não, cidades inteiras.

O investimento da forma correta pode transformar vidas e essa é uma das características de um negócio de sucesso.

Uma empresa pode transformar um mercado inteiro com base em ideias simples. Não é preciso reinventar a roda, mas você pode pegar essa ideia, trabalhar para que atenda a necessidade do seu público específico e gerar um novo negócio.

Em muitos casos, basta observar o que já existe, encontrar problemas ou alternativas para que aquilo funcione melhor e refletir em como proporcionar essas mudanças.

São inúmeros exemplos de empreendedores que perceberam oportunidades em mercados já saturados e conseguiram transformar realidades inteiras, tornando-se referência e fazendo com que aqueles que um dia foram a inspiração para a criação de um negócio pudessem ficar inspirados pela mudança trazida pelo empreendedorismo.

Perfil do empreendedor

Por mais completo que o empreendedor possa ser, sempre existem algumas características que podem enquadrá-lo em determinados perfis.

Todos os anos, a Endeavor, entidade que apoia e incentiva o empreendedorismo, destaca os tipos mais comuns encontrados no mercado brasileiro.

Perfil do empreendedor

Vamos conhecer um pouco dos diversos perfis que existem de empreendedor.

Perfil Nato

Aqueles classificados com o perfil “Nato” tem na criação da própria empresa um sonho a ser realizado.

Como o próprio nome já dá a entender, esse perfil vem do berço e o empreendedorismo aparece mesmo quando esta pessoa trabalha para a empresa de outra pessoa.

Perfil Apaixonado

Outro perfil bastante comum apontado nas pesquisas da área aponta para o “Apaixonado”.

Normalmente, são mulheres que decidiram investir em áreas do empreendedorismo como estética e saúde e, embora tenha exemplos na família e amigos, encontra algumas dificuldades na hora de empreender, como na captação de recursos e nas questões mais burocráticas ligadas à criação de empresas.

Mas apesar de todas as dificuldades que surgem no meio do caminho, o apaixonado investe e acredita em sua ideia e se fizer do jeito certo, pode ter certeza que vai alcançar o sucesso.

Perfil Situacionista

Aqueles que acabaram optando pelo empreendedorismo por uma insatisfação com o mercado ou mesmo porque a oportunidade de investir acabou “caindo no colo” são colocados dentro do perfil “Situacionista”.

Com mais medo de arriscar, costumam ser menos otimistas e se caracterizam mais pela vontade de tentar implementar algo de novo em um mercado já existente.

Perfil Antenado

Os mais jovens que atuam na área de serviços foram classificados dentro do empreendedorismo na categoria “Antenado”.

Com sede de aprendizagem, esse perfil costuma fazer parte de associações e se informa principalmente pela internet, mas pela falta de experiência, muitas vezes precisa da ajuda de pessoas mais experientes e com mais vivência para solucionar problemas que começam a surgir.

Perfil Herdeiro

Como o próprio nome já dá a entender, o “Herdeiro” cresceu muito perto dos negócios da família e, muitas vezes, recebe a oportunidade de entrar no empreendedorismo exatamente como uma herança.

A principal motivação para quem se encaixa neste perfil costuma ser o próprio incentivo de familiares e a experiência adquirida ao trabalhar nos negócios da família quando mais jovem.

Perfil Idealista

Se encaixa como “Idealista” aqueles que querem ajudar a melhorar a vida das pessoas, contribuindo para a transformação social.

Perfil Arrojado

Homens mais velhos, com maior poder aquisitivo e dispostos a assumir mais riscos estão dentro do perfil de empreendedorismo “Arrojado”.

A principal preocupação para este tipo de empreendedorismo é a gestão humana e o fluxo de caixa – este perfil normalmente tem muita experiência e, por isso, as preocupações já são mais “profissionais”.

Perfil Desbravador

As pesquisas também apontam para o perfil “Desbravador”, que incluem pessoas que ainda não tem a própria empresa, mas que pensam em abrir um negócio próprio nos próximos anos.

Normalmente, são jovens com experiência em empresas privadas, mas ainda no início da carreira.

Características de um empreendedor

Embora existam diferentes perfis de empreendedores, há algumas características que são comuns em todos eles.

Vejamos as características mais marcantes que um empreendedor precisa ter:

Autoconfiança

Não importa o perfil, a autoconfiança deve estar presente em cada pessoa que deseja investir no empreendedorismo.

É preciso acreditar em si mesmo, ter convicção de suas ideias e opiniões e saber do que é capaz.

É importante ressaltar que autoconfiança não exclui a busca por informação e pelo conhecimento.

O autoconfiante está sempre disposto a aprender mais, para alcançar sempre as melhores performances.

Busca de informação

É preciso saber entender quando a ajuda é necessária para o sucesso de qualquer pessoa no empreendedorismo, principalmente em áreas mais específicas.

Por isso, procurar pelo apoio de contadores e advogados de confiança, por exemplo, é essencial para qualquer empresa.

Buscar um modelo de negócio mais amadurecido que é o caso de franquias pode encurtar o caminho do sucesso.

Busca de oportunidades

Todo profissional que decida se aventurar pelo empreendedorismo também deve estar atento para as oportunidades que a vida apresenta.

É preciso ter contatos e conhecer pessoas que possam levar seu negócio a outro patamar e prestar atenção para toda chance de investimento – muitas vezes, as oportunidades caem no colo das pessoas, mas sem uma visão voltada ao empreendedorismo, elas não conseguem perceber a chance que têm nas mãos.

Comprometimento

Mas de nada adianta começar a investir se não houver comprometimento.

O empreendedor precisa entender que a empresa é dele e, se ele não tomar conta e ficar atento a todos os detalhes, ninguém fará isso por ele.

Definir objetivos com Eficiência

É preciso definir os objetivos com clareza desde o início e saber que uma gestão eficiente será a base para o sucesso no empreendedorismo.

Correr riscos – calculados

Correr riscos faz parte de qualquer negócio, mas ele precisa ser calculado.

Uma decisão errada e tudo pode ruir facilmente.

Por isso, a busca por informação e por pessoas que possam ter mais experiência é fundamental em qualquer empreendimento.

Criatividade e Iniciativa

Lidar com problemas e encontrar soluções para aquilo que a maioria não vê saída exige criatividade e iniciativa, características fundamentais para qualquer empreendedorismo.

Com a primeira, é possível enxergar possibilidades além do alcance da concorrência, o que é fundamental para o sucesso.

Ter iniciativa também ajuda a não ficar parado enquanto todo o mercado se movimenta.

Não dá para ficar parado esperando que alguém tome as decisões necessárias porque ninguém mais vai se preocupar com a empresa do que o próprio empreendedor.

Além disso, buscar conhecimento e não parar nunca de estudar ajuda a manter o cérebro sempre ativo e a percepção por melhores oportunidades fica sempre aguçada.

Liderança

E se o objetivo é entrar no empreendedorismo para criar uma empresa e gerar empregos, é primordial ter liderança.

Saber como guiar os funcionários e colaboradores rumo ao desenvolvimento e ao sucesso é uma característica para poucos.

Pode parecer clichê, mas é a realidade: muitos são chefes, poucos são líderes. Um chefe manda, um líder orienta.

O chefe vence pelo medo, o líder convence pelas ideias.

Para que uma equipe “vista a camisa” da empresa e trabalhe com vontade, com ânimo para superar desafios e as adversidades do cotidiano, ter a figura de um líder é essencial.

Otimismo

Entre as características básicas de um líder e de qualquer empreendedor, está o otimismo.

Uma pessoa que só pensa no pior e que só vê o lado ruim das coisas não está preparada psicologicamente para assumir os riscos e para encarar os problemas que o dia a dia do empreendedorismo irá apresentar.

Acreditar que tudo vai dar certo e ter a consciência de que as decisões que forem tomadas são as melhores possíveis é algo que forma líderes e garante sucesso a todo empreendimento.

Por mais que, algumas vezes, fatos isolados possam gerar algum tipo de desânimo ou frustração, não dá para deixar isso afetar a empresa como um todo e o otimismo é fundamental para superar qualquer crise.

Persistência ou Resiliência

E é justamente em tempos de crise e de problemas que os melhores se destacam pela perseverança e resiliência.

Não dá para desistir do empreendedorismo frente a qualquer desafio e erguer a cabeça para bater de frente com toda adversidade faz com que o empreendedor se destaque diante das outras pessoas.

A persistência aparece em muitas atitudes do empreendedor, que não se deixa abater diante das dificuldades.

Só tome cuidado pois persistência não é teimosia.

Planejamento, Monitoramento constante e sistemático

Os problemas irão aparecer vez ou outra porque muitas situações não dependem do empreendedor.

Mas um bom planejamento antes de qualquer ação e o monitoramento constante e sistemático das atitudes tomadas na frente de uma empresa podem evitar, ou, pelo menos, antever o que vem pela frente.

Assim, com antecedência, dá para pensar nas melhores soluções e montar estratégias para encarar qualquer crise.

Qualidade

Por fim, mas não menos importante, todo empreendedor precisa estar preocupado fundamentalmente com a qualidade do serviço ou produto que for oferecido.

De nada adianta reunir as principais características de alguém que está preparado para investir se aquilo que se oferece para o público estiver abaixo do ofertado pela concorrência, ou das expectativas dos consumidores.

Quem quer investir tem que estar preparado para superar a tudo e a todos para alcançar o desenvolvimento pleno e ser reconhecido pelo trabalho.

Tipos de empreendedor

O que vai diferenciar você de outros empreendedores é sua visão, seu objetivo diante de um empreendimento e a forma como vai exercer a atividade.

Basta avaliar o tipo de negócio que trará rentabilidade e se encaixa em seu perfil.

E nós vamos ajudar você a se decidir! Conheça os cinco tipos de empreendedorismo mais comuns no país.

Seja qual for sua visão de negócio, certamente encontrará uma forma de empreendedorismo que combina com você.

1. Franqueado

O franqueado é um tipo de empreendedorismo que vem crescendo no Brasil.

Esse tipo de investimento é ideal para quem busca rentabilidade mensal média, tem algum dinheiro para investir e deseja um retorno um pouco mais seguro de seu investimento financeiro.

Outra vantagem é que esse empreendedorismo está atrelado à uma marca já mais conhecida e que normalmente já possui uma relação de confiança com consumidores.

Entre os empreendimentos do tipo franquia de maior sucesso no Brasil, podemos destacar o McDonalds.

O investimento é proporcional ao alto faturamento que ela oferece: essa franquia não custa menos de 1,6 milhões.

Se você tem um orçamento mais limitado para assumir esse perfil de empreendedorismo, com sucesso de investimento e sem maiores riscos, o ideal é procurar por uma franquia digital.

Independentemente da franquia escolhida é preciso ter cautela sempre.

Pesquise bastante sobre o negócio que irá entrar, sobre o franqueador e leia atentamente todas as cláusulas do contrato e COF Circular de Oferta de Franquia. Em caso de dúvida, procure a ajuda de um advogado de confiança.

2. Social

Esse tipo de empreendedorismo se encaixa perfeitamente no perfil das pessoas que primam pela qualidade de vida e se preocupam em desempenhar seu papel social.

Os empreendimentos de cunho social são ideais para quem deseja obter lucros e, ao mesmo tempo, tentar resolver problemas sociais que o poder público demonstra certo descaso.

Não é por acaso que esse seja um dos tipos de empreendedorismo que mais cresce no país, principalmente entre os jovens visionários.

Quando o foco está também no impacto ambiental desses projetos, o empreendedorismo social também pode ser denominado ecológico.

Nesse tipo de empreendimento voltado para ações de impacto na sociedade ou para ambiente, o empresário pode desenvolver um trabalho de profissionalização de jovens de áreas periféricas, ou vender produtos de uma fazenda que só produz alimentos orgânicos, por exemplo.

Outra característica desse tipo de empreendedorismo é o trabalho em equipe.

O trabalho é autossustentável, colaborativo e lucrativo. Uma boa razão para dar voz ao seu lado mais humano, não é mesmo?

3. Individual

O empreendedorismo individual já vai por uma via diferente daquela do empreendedor social.

Normalmente é caracterizada por pessoas que começaram a empreendedor por uma necessidade de sobrevivência, geralmente após uma demissão ou falta de oportunidades de recolocação no mercado de trabalho.

São pequenos negócios que começam na informalidade e com o tempo se legalizam, tornando-se MEI, o que garante também melhores oportunidades de negociação e a possibilidade de crescer e se transformar em uma empresa de pequeno porte.

O empreendedor individual pode atuar em diferentes segmentos que vão desde a abertura de uma lanchonete na garagem de sua casa ou montar essa mesma lanchonete em uma pequena barraca nas ruas da cidade.

Esse empreendedor detém pouco lucro, pois trabalha sozinho e possui ambições, que em regra não ultrapassam a simples sobrevivência.

4. Cooperado

O pensamento de que a união faz a força se encaixa perfeitamente nesse tipo de empreendedorismo.

O cooperado nunca empreende sozinho, está ligado às cooperativas ou, em alguns casos, cria uma cooperativa em sua comunidade.

Diferente do empreendedorismo individual, o cooperado visa o crescimento e independência.

Pequenos agricultores, artesãos, costureiras e produtores de leite, por exemplo, representam bem esse tipo de empreendedor. O objetivo é investir em grupo e investir pouco, bem como ter baixo risco. Ideal para quem detém poucos recursos financeiros e que não possui habilidade e tempo para gerir um empreendimento sozinho.

5. Visionário

O desejo de crescer financeiramente e sem obedecer a regras impostas por regimes restritos de trabalho ou intervenção de outros sujeitos, leva o empreendedor a abrir seu próprio negócio.

Esse tipo de empreendedorismo, não pode ser confundido com o empreendedorismo individual, pois está além do empreender para sobreviver.

Esse é dos tipos de empreendedorismo mais rentáveis, porque está ligado à ideia de inovação.

Quer um exemplo de empreendedor visionário? O fundador da Microsoft, Bill Gates, revolucionou o mundo da informática e hoje é um dos homens mais ricos do planeta.

Para te motivar listamos algumas frases dos principais empreendedores do mundo.

Frases empreendedoras

Não faltam bons exemplos no empreendedorismo de profissionais que tiveram sucesso em suas vidas profissionais e pessoais encontrando oportunidades em situações corriqueiras e por observar necessidades de mercado que ninguém mais conseguia encontrar.

Essas pessoas servem como exemplo de empreendedorismo e inspiração, e algumas frases delas podem ser motivadoras.

Frases empreendedoras

Veja algumas frases de empreendedorismo que podem servir de motivação:

Steve Jobs - um dos criadores da Apple

Seu tempo é limitado. Não desperdice vivendo a vida de outra pessoa

Seu trabalho vai preencher grande parte da sua vida, e a única maneira de ser satisfeito é fazer um bom trabalho. E a única maneira de fazer isso é amando o que se faz

Larry Page - da Gigante Google

Determinamos metas que sabemos que ainda não temos como atingir, porque sabemos que, ao nos esforçar para atingi-las, podemos ir além do que esperávamos

Jim Collins - considerado um dos gurus da Administração

Bom é inimigo do ótimo

É preciso manter a empolgação, a autoestima, criatividade e intensidade, mesmo quando tiver sucesso. Se as pessoas perdem isso, há possibilidade de declínio

Walt Disney - cofundador da Disney

A melhor maneira de começar é parar de falar e começar a fazer

Bill Gates - fundador da Microsoft

Seus clientes mais insatisfeitos são sua maior fonte de aprendizado

Henry Ford - criador da Ford

Quando tudo parecer estar contra você, lembre-se que o avião decola contra o vento, não com a ajuda dele

Aristóteles - filósofo grego

Há apenas uma maneira de evitar críticas: não fazer, não falar e não ser nada

Jim Rohn - empreendedor e palestrante norte-americano

Pessoas de sucesso fazem o que pessoas malsucedidas não querem fazer. Não queira que a vida seja mais fácil. Deseje que você seja ainda melhor

Se você não traçou um plano para você mesmo, é possível que você caia no plano de outra pessoa. E adivinha o que ele planejou para você? Não muito

Thomas J. Watson - empreendedor norte-americano

Uma fórmula para o sucesso? É bem simples, na verdade: dobre a probabilidade de fracasso da sua empresa. Você pensa que a falha é um inimigo do sucesso. Mas não é, de jeito nenhum. Você pode ser desencorajado com os erros ou aprender com eles, então siga em frente e continue falhando. Erre o máximo que puder. É aí que você vai conseguir o sucesso

Abraham Lincoln - 16º presidente dos Estados Unidos

O campo da derrota não está povoado de fracassos, mas de homens que tombaram antes de vencer

Senhor, minha preocupação não é se Deus está ao nosso lado; minha maior preocupação é estar ao lado de Deus, porque Deus é sempre certo

Se eu tivesse oito horas para derrubar uma árvore, passaria seis afiando meu machado

Salomão – Rei de Israel

Tudo o que a sua mão encontrar para fazer, faça-o com todo o seu coração

Não diga sem pensar, o que pensa em dizer

Em todo tempo ama o amigo, e na angústia se faz o irmão.

Filmes para empreendedores

Muitas histórias de empreendedorismo são tão fascinantes que rendem um roteiro incrível para o cinema.

São dezenas de histórias que mostram o sucesso e o fracasso de pessoas que decidiram investir no próprio negócio.

Meditar na história, estratégias e desfechos de alguns filmes para empreendedores são essenciais para quem quer entrar neste universo.

Filmes para empreendedores

Fome de Poder

Conta a história por trás do sucesso do McDonald's, uma das maiores redes de fast food do mundo e um dos “cases” de empreendedorismo de maior sucesso da história.

Mostra a ideia que os irmãos Mc Donald's tiveram e a sociedade com Ray Kroc, interpretado por Michael Keaton.

Foi ele quem teve a ideia de levar o restaurante para todo o território dos Estados Unidos, mas a história não é assim tão bonita, mas cheia de traições e atitudes questionáveis.

Vale a pena assistir para aprender os riscos de fazer sociedade com qualquer pessoa.

A Rede Social

Narra a saga que levou à criação do Facebook, maior rede social do mundo e principal exemplo quando falamos de empreendedorismo digital.

Também aborda muitas traições e atos que levaram um dos primeiros sócios de Mark Zuckerberg a processá-lo – um dos pilares do filme.

O longa mostra muitos momentos que envolvem a criação de uma empresa, desde o desenvolvimento da primeira ideia até as desavenças que o sucesso pode trazer.

Jobs

Também dentro da área da tecnologia, o filme que conta a história do fundador da Apple. Essa é uma indicação fundamental para todo apaixonado por cinema que deseja empreender.

Apresenta Steve Jobs como um marco do empreendedorismo digital e como todas as suas características, no mínimo peculiares, o levaram à demissão da empresa que ele mesmo criou.

À Procura da Felicidade

Conta todos os desafios e superações vividos por Chris Gardner, interpretado por Will Smith, ao lado de seu filho enquanto tentava mudar de vida optando pelo empreendedorismo e definir o futuro da família.

Ele encontra um emprego em que não recebe salário e, mesmo assim, demonstra perseverança e traz belas lições para o empreendedor em início de carreira.

De Porta em Porta

Filme de 2002 que traz Wiliam H. Macy no papel de Bill Porter, um homem que nasceu com paralisia cerebral que trouxe limitações para sua fala e movimentos.

Mesmo assim, isso não impediu que ele conseguisse um emprego de vendedor batendo de porta em porta, como o título do filme indica.

O longa é inspirador e emocionante e mostra que não existem limites quando existe vontade e perseverança para entrar no empreendedorismo.

Livros de empreendedorismo

A inspiração é a fonte para o empreendedorismo, e muitos daqueles que passam por desafios e conseguem alcançar o sucesso querem inspirar outras pessoas a percorrerem o mesmo caminho.

Agora é hora de indicarmos alguns livros que trazem histórias e podem servir como modelos a serem seguidos, com dicas essenciais para o sucesso.

Livros de empreendedorismo

Geração de Valor, Flávio Augusto

Um dos maiores exemplos de empreendedorismo do Brasil, fundador da escola de inglês Wise Up, que trouxe um método de ensino inovador, Flávio Augusto é conhecido pelo perfil empreendedor.

Ele é um dos criadores do blog Geração de Valor, focado em incentivar o empreendedorismo em seus seguidores.

O primeiro livro traz os melhores textos publicados pela equipe que abastece o site, com dicas e histórias inspiradoras.

Sacadas de Empreendedor, Erico Rocha

Um dos principais nomes do Marketing Digital e expoente do empreendedorismo na internet, Erico Rocha também colocou suas ideias e dicas no papel.

No livro Sacadas de Empreendedor, ele traz conceitos básicos para gerir um negócio e falar sobre mitos e verdades da área empresarial.

Coleção Análise da Inteligência de Cristo, Augusto Cury

Em cinco volumes, o psiquiatra e escritor Augusto Cury promoveu uma celebrada análise comportamental de Jesus Cristo, com o lado psicológico de Jesus podendo ser aplicado às mais diferentes áreas do empreendedorismo.

A coleção tem os livros O Mestre dos Mestres, O Mestre da Sensibilidade, O Mestre da Vida, O Mestre do Amor e O Mestre Inesquecível.

Empreendedorismo no Brasil

Criativo por natureza, o brasileiro também tem muitas características que se encaixam no empreendedorismo.

Crescimento do empreendedorismo no Brasil

Como já falamos lá no início desse conteúdo, o Brasil cresceu 15,1% em 2018. E segundo a pesquisa realizada pela GEM (Global Entrepreneurship Monitor), o Brasil chegou a 38% na TTE (Taxa de Empreendedorismo Total).

O número indicado pela pesquisa significa que em torno de 52 milhões de brasileiros possuem um negócio próprio e a tendência é que esse número apenas aumente.

Uma pesquisa recente do Sebrae aponta que mais de 75% das pequenas empresas conseguem sobreviver aos dois primeiros anos e, assim, conseguem andar com as próprias pernas e superar os primeiros desafios de qualquer negócio no país, que muitas vezes pode se mostrar hostil ao empreendedorismo.

Com uma cultura e um território tão vastos, o que não falta é segmento para investir e cabe ao empreendedor observar quais são os melhores campos para começar a planejar a abertura da própria empresa.

Mercados do empreendedorismo no Brasil

Mercados como beleza, saúde, solução de problemas para grandes cidades, varejo e área digital se mostram bons territórios para quem pretende apostar no empreendedorismo.

E com a popularização do Microempreendedor Individual (MEI), focar em serviços inovadores voltados para pequenos negócios também pode ser uma saída dentro do empreendedorismo, principalmente em áreas como tecnologia da informação, advocacia e contabilidade.

Para quem quer investir no empreendedorismo e está com receio de começar um investimento por não ter experiência, parceiros ou base teórica, uma boa opção é procurar as franquias.

Empresas de sucesso que decidem franquear o negócio podem ser uma boa saída para quem deseja abrir uma empresa e começar a tocar a vida por conta própria.

O empreendedor bem-sucedido em seu negócio decide replicar o conhecimento de seu serviço ou produto em outras regiões e, para isso, cria um modelo de negócio para ser aplicado em outras localidades, com o compartilhamento de resultados.

Escolher uma franquia diminui os riscos da inexperiência e aumenta as chances de sucesso no empreendedorismo.

É justamente neste cenário que começam a aparecer as franquias digitais, que se mostram negócios excelentes para quem deseja apostar no empreendedorismo no mercado da internet para expandir os negócios e gerar renda trabalhando de casa.

Criação de sites, blogs ou portais de notícias, montagem de lojas virtuais, marketing digital, criação de conteúdo, campanhas com ferramentas importantes como Ads e redes sociais, as franquias digitais têm um mercado que só tende a crescer nos próximos anos e o investimento correto nesta área se mostra como uma das principais apostas de sucesso.

Empreendedorismo digital

Empreendedorismo digital

Por exigir um investimento inicial baixo, ter a possibilidade de retorno quase que imediata e por ter um mercado cada vez mais amplo, o empreendedorismo digital ganha cada vez mais adeptos e aparece como uma das fortes tendências de investimentos para os próximos anos.

É importante escolher o nicho de mercado que será explorado e, normalmente, a indicação é que seja escolhida alguma área em que já se tenha um conhecimento prévio.

É possível começar seu próprio negócio digital sem ter uma grande equipe e sem a necessidade de um espaço físico.

Nesse sentido, as franquias digitais aparecem como figura importante no cenário do empreendedorismo.

Empreendedorismo digital com franquias

Empreendedorismo digital com franquias

A diminuição das incertezas causadas pela falta de experiência os riscos menores do que montar um negócio próprio são muito atraentes e trazem mais certeza de um investimento seguro.

Além disso, investir no mundo digital permite que o empresário trabalhe de casa, reduzindo os gastos com uma estrutura física própria.

Apesar das facilidades, é preciso dedicação, esforço e muita disposição para se manter atualizado e sempre buscar informações que possam ajudar a desenvolver o negócio ainda mais.

Para facilitar a busca por informações, é importante que uma franquia digital tenha uma ferramenta própria para criação de blogs, sites, lojas e portais.

Uma equipe responsável por isso pode sair caro, mas existem opções de franquias de sucesso de empreendedorismo que podem ajudar nesta tarefa que pode ser bastante complicada e cara.

Ferramentas de gestão também são essenciais para manter a organização e o planejamento estratégico do empreendedorismo.

Se já não é simples controlar as contas da casa, tocar uma franquia sem um software capaz de monitorar as contas a pagar e receber, os contratos que estão prestes a vencer, trabalhos que devem ser concluídos em determinado prazo e relacionamento com o cliente, pode se tornar uma tarefa ingrata e, até certo ponto, desestimulante.

A falta de planejamento e organização estão entre as principais armadilhas para o empreendedorismo e existem programas e serviços que ajudam a não cair neste buraco.

Como ser um empreendedor

Superar desafios, criar soluções inovadoras, aplicar novas ideias.

O empreendedor precisa saber que a busca por conhecimento será diária e, no mercado digital, a falta de atualização pode ser a ruína para qualquer negócio.

Apesar de parecer simples, investir no empreendedorismo e abrir uma empresa exige muita dedicação, estudo e esforço e o empreendedor precisa estar preparado psicologicamente para lidar com as muitas adversidades que o mundo trará.

Luis Vabo Jr, responsável pela empresa de monitoramento de preços de e-commerce Sieve, lembra a importância de conversar com outras pessoas para conseguir sucesso no empreendedorismo.

Não é preciso ter medo de ter a ideia roubada: quanto mais pessoas souberem da ideia de empreendedorismo, maior será o feedback de possíveis consumidores, e essa é uma das ferramentas mais importantes para qualquer empresa.

O retorno do cliente, seja ele, positivo ou negativo, ajuda a evitar erros, encontrar falhas e crescer.

Encontre um Sócio

Encontrar um sócio que possa somar com conhecimento, experiência ou recursos financeiros também é essencial para que um bom trabalho seja desempenhado.

Encontre um Sócio

É importante saber que o sucesso no empreendedorismo precisa contar com pessoas que saibam vender e entregar seu produto além de cuidar das finanças e da gestão de pessoas (sejam elas funcionárias ou no relacionamento com o cliente).

É muito difícil ser bom em todas estas áreas, então a sociedade deve sempre ser pensada de forma complementar, com parceiros que se entendam e se completem justamente nestes segmentos.

Para conseguir sucesso no empreendedorismo, é fundamental entender se a ideia representa um modelo viável de negócio e se existe um mercado que pode ser explorado.

Ter um diferencial também é essencial na hora de se destacar da concorrência: porque o cliente deve escolher X e não Y? Um bom planejamento é uma das principais etapas para evitar que o negócio fracasse.

Ter o timing necessário para investir e fazer isso de maneira ordenada e organizada ajuda a evitar problemas e minimiza riscos desnecessários.

Buscar ajuda e parcerias nas áreas mais complicadas também é vital para qualquer profissional que ingresse no empreendedorismo.

Nem todo mundo é especialista em direito e contabilidade, por exemplo, então encontrar advogados e contadores de confiança pode ser fundamental para o crescimento da empresa.

O marketing se mostra como etapa primordial no desenvolvimento de qualquer negócio e, em plena era digital, ter um plano de divulgação da marca online, com a criação de sites, blogs e perfis nas principais redes sociais certamente trará resultados rapidamente.

Porque as empresas quebram?

Não adianta: por mais que existam especialistas em empreendedorismo dispostos a ajudar, centenas de artigos na internet, livros, filmes e vídeos ensinando a empreender, muita gente comete erros comuns e vê o projeto naufragar.

Alguns dos erros são básicos e poderiam ser evitados com um plano de negócios e um planejamento estratégico bem-feito e eficiente: os aventureiros no mundo do empreendedorismo costumam se equivocar em uma hora ou outra da tomada de decisões e vê a empresa ruir.

A falta de planejamento influencia em uma série de outros problemas, como a falta de capital para fazer a empresa girar, ou a mistura das finanças da empresa com os gastos pessoais, trazendo problemas para o controle de fluxo de caixa e gerando prejuízos que podem ser a ruína de qualquer pessoa no empreendedorismo.

Não ter um plano claro de como gerir a empresa também é uma demonstração de falta de organização, foco e até mesmo de dedicação à própria empresa, elementos que, combinados ou isolados, podem levar ao fracasso do empreendedorismo rapidamente.

E de nada importa prestar atenção a estas questões e deixar de lado um fator essencial: a qualidade.

Um bom planejamento antes de entrar no empreendedorismo não salva um serviço ou produto ruim, ou então o mal atendimento e a falta de atenção ao consumidor.

Não basta entregar um bom produto ou serviço, é preciso focar sempre em ser o melhor, prestar atenção às críticas construtivas e se esforçar para sempre evoluir antes dos concorrentes.

É claro que ninguém nasce sabendo questões tão importantes como planejamento estratégico e importância do marketing digital, mas os itens abaixo podem ajudar a estudar e praticar.

Planejamento estratégico

Elaborar um bom planejamento pode parecer um bicho de sete cabeças para quem está começando no empreendedorismo, mas não é preciso se assustar.

Planejamento estratégico

Com alguns passos simples, é possível criar um planejamento estratégico eficaz e capaz de ajudar a alcançar qualquer objetivo no empreendedorismo.

Esse plano vai mostrar quais são os objetivos a longo prazo, como aumentar a estrutura física ou a capacidade de vendas de um produto, e dará um direcionamento para que essas metas dentro do empreendedorismo sejam alcançadas.

O que é planejamento estratégico

O planejamento é instrumento essencial para obter sucesso em qualquer ramo do empreendedorismo, mas é preciso avaliar a frequência e o período em que ele é feito.

No caso de indústrias de produtos como a siderurgia, por exemplo, o plano pode ser montado a longo prazo, entre dois a cinco anos.

É diferente para o empreendedorismo no setor digital, que presencia novidades praticamente a cada semana e exige um gestor muito mais antenado e disposto a readequar suas metas conforme a necessidade do mercado.

Planejamento estratégico de marketing

Outro ponto que precisa ser considerado durante esta etapa é montar um planejamento estratégico de marketing consistente que seja capaz de elevar a marca do serviço ou produto oferecido no empreendedorismo a um novo patamar.

A criação da logo e do slogan, por exemplo, é parte crucial para qualquer empreendedor: a mensagem precisa ser clara e de fácil entendimento apenas pelo nome ou pelo símbolo da marca.

A criação de sites e investimento na atualização de blogs ajudam a cravar presença no mundo digital, aliando estas páginas aos perfis em redes sociais e campanhas de Ads, por exemplo, para auxiliar na divulgação do serviço.

Plano de Negócios

Antes de sair do mundo das ideias, é preciso colocar toda a ideia no papel e montar o plano de negócios para especificar quais são os objetivos e quais os meios que serão utilizados para cumprir cada uma das metas ao ingressar no empreendedorismo.

Plano de Negócios

O que é plano de negócios

Podemos dizer que o plano de negócios é o documento que você irá descrever os objetivos do negócio, e como será feito para alcançar esses objetivos, com isso diminuir os pontos cegos, riscos, e incertezas do seu futuro negócio.

Como fazer um plano de negócios

Um passo fundamental nesse caminho é conhecer o público-alvo antes mesmo de entrar no mundo do empreendedorismo.

Saber quem é o cliente é essencial para conseguir vender bem, porque o trabalho será focado e direcionado para atender às motivações do consumidor.

Também é preciso ficar atento à demanda para o produto ou serviço que você escolheu empreender: existe espaço no mercado para a comercialização da sua ideia? Reflita se há mercado consumidor, se sua ideia de fato é inovadora ou se você tem um diferencial com relação a seus concorrentes.

Informações financeiras são fundamentais para o plano de negócios

O plano de negócios também precisa incluir as informações financeiras do empreendedorismo, como a previsão de receitas e despesas mensais, qual a expectativa de lucro, quem serão os principais fornecedores para o produto ou serviço que você está prestando, de onde virá a mão de obra para determinadas ações (designers, empacotadores ou relacionamento com o cliente, por exemplo) devem constar no plano para garantir mais eficiência na gestão da empresa.

Uma análise detalhada do mercado e do próprio negócio também pode ajudar você a se planejar e montar o plano de negócios mais apropriado para sua empresa.

É a chamada “análise SWOT”, sigla em inglês para Strenght, Weakness, Opportunities e Threats (força, fraqueza, oportunidades e ameaças).

É uma ferramenta muito utilizada no mundo do empreendedorismo para analisar o ambiente externo e interno de mercado para auxiliar na formação das estratégias que otimizarão a atuação da empresa antes mesmo dela começar a funcionar.

O “benchmarking” também é uma etapa importante no desenvolvimento do plano de negócios e ferramenta comum dentro do empreendedorismo.

Analisar quem são e como pensam seus concorrentes ajuda a melhorar o próprio serviço e a evoluir dentro da própria empresa.

Pode parecer complicado, mas com uma boa base de literaturas e o investimento em pesquisas, colocar a ideia no papel se torna uma tarefa possível de ser realizada.

Agora se a sua escolha for por uma franquia, todo esse trabalho já foi feito pela franqueadora.

Caso seja essa sua opção de investimento você terá mais tranquilidade. Contate a franquia desejada e participe do processo de seleção, em algum momento a franqueadora disponibilizará o plano de negócios para você.

Como abrir uma empresa

Como abrir uma empresa

Além de pesquisar bastante como você está fazendo lendo este artigo, a ajuda de um contador e de um advogado serão essenciais na hora de abrir uma empresa.

Eles serão importantes na hora de redigir o contrato social do empreendedorismo, que contém informações como objetivos, forma de sociedade e interesses dos envolvidos.

Documentos necessários para abrir uma empresa

Com esse documento, é possível ir até a junta comercial de sua cidade para retirar o NIRE (Número de Identificação do Registro de Empresas.

Com esse documento, você já consegue ter CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) e também a DECA (Declaração Cadastral) – agora, você está apto a pagar impostos pela sua empresa.

Na sequência, é preciso saber se seu negócio se encaixa no Simples (Sistema Integrado de Imposto e Contribuições das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte) para definição da tributação que será aplicada a ele.

Também é preciso cadastrar sua empresa junto à prefeitura para dar entrada no alvará de funcionamento e também na Previdência Social, caso haja intenção de contratar funcionários.

Por fim, é preciso preparar toda a questão fiscal da empresa na Secretaria de Estado da Fazenda local, com a impressão de notas fiscais e a autenticação dos Livros Fiscais.

Taxas necessárias para abrir uma empresa

É claro que todo esse procedimento tem um preço e todas essas etapas precisam ser pagas, mas os valores variam de estado para estado.

Em média, os valores variam de R$ 600 até R$ 1.200 em taxas para os governos municipal, estadual e federal, com o pagamento para emissão dos documentos necessários em cada etapa.

Além disso, existe o custo dos profissionais que vão te auxiliar neste processo, como contadores e advogados, o que também precisa ser colocado na ponta do lápis.

Para realizar o sonho de abrir sua empresa, é preciso definir o ramo de atividade correto conforme a CNAE (Classificação Nacional de Atividade Econômica) porque é ela que poderá definir quais são os tipos de empresa que podem ser criados dependendo do segmento escolhido.

Um contador de confiança será essencial para ajudar nessas decisões.

Qual o tipo de empresa

Sociedade Limitada (LTDA)

Estrutura com no mínimo dois sócios inscritos na Junta Comercial Estadual para ingressar no empreendedorismo.

A participação de cada um na sociedade está no contrato social e é limitada pela proporção de cotas.

Sociedade Anônima (SA)

Empresas com o capital distribuído em ações e, por isso, cada sócio é chamado de acionista.

Podem ser de capital aberto (quando as ações são negociadas na Bolsa de Valores) ou de capital fechado (não emitem ações para serem comercializadas porque não atingirem o patrimônio mínimo estabelecido pela Comissão de Valores de Mercado) e bastante comum no mundo do empreendedorismo.

Microempresa (ME)

Empresas que têm faturamento anual abaixo dos R$ 360 mil e, por isso, podem se encaixar dentro do Simples Nacional, que oferece pagamento de impostos de maneira simples e unificada.

Aparecem em grande número entre os brasileiros que decidem ingressar no empreendedorismo.

Empresa de Pequeno Porte (EPP)

Com faturamento que vai de R$ 360 mil até R$ 3,6 milhões, também pode se encaixar no regime de impostos do Simples, desde que não seja banco comercial, corretora de valores e outras atividades proibidas por lei.

Microempreendedor Individual (MEI)

Setor que mais cresce no Brasil por causa do alto interesse no empreendedorismo, o MEI tem faturamento anual em 2017 de até R$ 60 mil e em 2018 esse limite será de até R$ 81 mil, e não existe necessidade de sócio.

Também é possível obter um CNPJ sendo MEI, o que facilita, por exemplo, na abertura de contas empresariais e na obtenção de crédito para investimento, além da emissão de nota fiscal.

A vantagem neste caso é que é possível se enquadrar nas regras do Simples Nacional com pagamento de taxas inferiores a R$ 50 mensalmente, dependendo do setor em que se atua (serviços ou produtos).

Tributo

Simples Nacional

Como já foi dito, o Simples Nacional é uma forma simplificada e unificada de pagar os impostos de sua empresa.

Se encaixa para os MEI, as ME e as EPP e engloba os principais tributos municipais, estaduais e federal, Contribuição para a Seguridade Social destinada à Previdência Social a cargo da pessoa jurídica (CPP), PIS/Pasep, CSLL, IRPJ, Cofins, ISS, ICMS e IPI.

A alíquota é definida conforme o faturamento dos 12 meses anteriores e traz como vantagem as obrigações tributárias de maneira mais facilitada do que outras modalidades de pagamento de imposto.

Lucro Presumido

Regime tributário com mais empresas no país depois do Simples Nacional, o Lucro Presumido gera mais despesas do que o sistema tributário simplificado e é calculado com base na parcela considerada como lucro pela legislação.

Dessa forma, são calculados os principais impostos federais como a CSLL (Contribuição Social sobre Lucro Líquido) e o IRPJ (Imposto de Renda sobre Pessoa Jurídica).

Este regime pode ser adotado pelas empresas que não se encaixam no Simples Nacional.

Lucro Real

O Lucro Real é o sistema de tributação que calcula o imposto com base no lucro líquido da empresa no período anterior de 12 meses.

O valor vai aumentar ou diminuir conforme a apuração do lucro da empresa.

CNPJ

CNPJ o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica pode ser encarado como o “documento de identidade” de uma empresa.

É o cadastro do empreendimento junto à Receita Federal e documento essencial para que ele opere em território nacional, além de ser impossível abrir uma conta empresarial e obter crédito para financiamento de empresas.

O que é sociedade

Muitas vezes, para abrir uma empresa, é preciso unir as qualidades e características de mais de uma pessoa para criar um “organismo completo” no gerenciamento do empreendedorismo.

Esta é a sociedade, uma união de pessoas de forma organizada para desempenhar uma atividade profissional focada na comercialização de serviços ou produtos.

Tipos de sociedade

No Brasil, existem, pelo menos, nove tipos de sociedades empresariais que valem a pena ser estudadas para escolher qual o perfil que melhor se encaixa com o que você procura.

Sociedade Simples

Como o próprio nome já diz, é o mais simples dos modelos de sociedade.

Neste caso, a atividade está ligada apenas à prestação de serviços. Antigamente era conhecida como Sociedade Civil.

Sociedade em Nome Coletivo

Sabe aquela empresa que tem o nome “& Cia” ou “& Companhia”? Ela se enquadra neste tipo de sociedade, em que os sócios podem limitar entre eles as funções e responsabilidades de cada no momento da elaboração do contrato social.

Sociedade Limitada

Um dos modelos de sociedade mais comuns no Brasil, vista normalmente como “LTDA”, a participação de cada sócio é limitada pela “parte” dele na empresa.

Exige, portanto, a presença de mais de um sócio, sejam eles pessoas físicas ou jurídicas.

O administrador é figura central e deve ser escolhido por votação entre os sócios.

Sociedade Anônima

Também bastante comum no Brasil, as S. A. são mais complexas.

O capital não está associado aos nomes dos empresários e sim em ações.

Normalmente, este modelo é utilizado por grandes empresas que utilizam o mercado de ações para captação de recursos.

Pode ser de capital aberto (quando as ações são negociadas na Bolsa de Valores) ou de capital fechado (não permite negociação na bolsa).

Sociedade em Comandita Simples

Neste modelo, os sócios são divididos entre comanditados e comanditários.

Os primeiros são pessoas físicas com as responsabilidades fiscais da empresa, enquanto os segundos têm suas responsabilidades pelo valor de sua quota.

Sociedade Comandita por Ações

Assim como na S. A., o capital está dividido em ações, mas ela funciona por denominação ou firma e não no conjunto com os acionistas.

Assim, todas as responsabilidades fiscais são atribuídas a um diretor ou a um grupo de diretores, conforme ficar definido na constituição da sociedade.

Sociedade Cooperativa

Com participação obrigatória de no mínimo 20 cooperados, caracteriza-se pelo caráter democrático de sua economia.

Os sócios respondem apenas pelo valor de suas quotas e por possíveis prejuízos, mas também respondem pelas obrigações sociais do grupo de maneira solidária.

Sociedade em Conta de Participação

Criada exclusivamente para operações comerciais, não exige necessariamente a firma social e pode ser formada por dois ou mais sócios.

Também não é necessária formalização, já que o contrato afeta apenas os sócios.

Sociedade de Advogados

Existe uma modalidade de sociedade exclusiva para quem deseja empreender na área da advocacia.

As regras previstas anteriormente não se aplicam aqui, já que devem seguir as normas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), ao invés de ser cadastrada na Junta Comercial Estadual.

Por isso a importância de contar com um bom contador e um bom advogado ambos precisam ser de sua confiança.

Caso sua opção seja investir em uma franquia, você poderá contar com a Franqueadora para te apoiar, ela já tem o “caminho das pedras”.

Contrato social

Contrato social

Para explicar de maneira clara, o contrato social é como sua certidão de nascimento.

É exigido se você pretende abrir uma sociedade no empreendedorismo.

Ele é a formalização do negócio atribuído a um CNPJ e permite aos empreendedores agirem como empresas.

Isso significa abrir uma conta jurídica em qualquer banco, buscar crédito empresarial, emitir notas fiscais.

Para que isso seja possível, o contrato social deve ser registrado na Junta Comercial de seu Estado, ou então em um cartório normal, caso a sociedade seja da modalidade Simples.

Será preciso o apoio de um contador e um advogado para elaborar este documento, onde estarão definidas as quotas de cada sócio.

Essa divisão é o que define a participação de cada um dentro da empresa, sendo que, pelo menos, um dos sócios recebe a função de administrador.

O valor que cada sócio receberá também está condicionado ao que for firmado no contrato e pode ser por meio da distribuição dos lucros ou no formato “pro labore”.

Também deve constar no contrato quais são as tomadas de decisões que exigem reuniões, conferências e deliberações em conjunto, e quais são as ações que o administrador pode tomar sozinho.

Essas decisões podem ser desde o pedido de empréstimos até a entrada de mais sócios no empreendimento.

O contrato também traz a área de atuação da empresa, de modo que só é possível emitir notas fiscais dentro destes segmentos.

Vale lembrar que é importante delimitar a área de atuação de seu negócio porque, quanto mais segmentos forem listados no contrato social, maior será a necessidade de obtenção de licenças e maior será também o regime tributário.

Cuidados com o contrato social

É preciso tomar cuidado com a elaboração do contrato social.

Uma atitude errada e que é bastante comum de ser observada nos empreendimentos é utilizar apenas o formulário e o modelo disponibilizados pela junta comercial.

É essencial contar com a ajuda de um advogado ou de um contabilista para auxiliar na elaboração deste contrato porque é ele que pode definir todas as ações futuras da empresa.

Por isso, a consultoria de alguém especialista nesta área pode te ajudar a entender o que diz este documento e qual sua importância para o funcionamento da empresa.

Alvará de funcionamento

Documento que autoriza uma empresa a funcionar de fato, o alvará de funcionamento é exigido para qualquer tipo de empreendimento, seja ela grande ou microempreendedor individual (MEI).

O alvará permanente também é chamado de licença, enquanto o documento provisório é comumente nomeado como autorização.

Este documento é emitido por um órgão municipal, geralmente a Prefeitura, e comprova que o local que receberá a empresa atende a todos os requisitos legais para funcionar.

Isso vale para qualquer tipo de estabelecimento, mesmo que se trate de um e-commerce: afinal de contas, na hora de registrar sua empresa, será preciso dar um endereço físico para a sede administrativa ou para o estoque.

Como tirar Alvará de funcionamento

Para obter o alvará de funcionamento, é preciso ter uma lista de documentos para serem protocolados no órgão responsável por sua emissão:

  • Planta do imóvel onde a empresa será sediada;
  • Recibo de pagamento do IPTU;
  • RG e CPF dos responsáveis pelo negócio (seus documentos pessoais, em caso de MEI);
  • Cadastro do Contribuinte Mobiliário (CCM);
  • Declaração de atividade da empresa;
  • SQL do imóvel (setor, quadra e lote);
  • E, dependendo do tipo de estabelecimento, certificado de vistoria do Corpo de Bombeiros e da Vigilância Sanitária para confirmar que o local está adaptado a todas as regras de segurança.

É importante ressaltar que nem todo alvará é permanente e, dependendo da estrutura e do risco de cada empreendimento, será preciso renovar toda a documentação em um determinado período.

Isso porque mudanças de regras e normas de segurança, por exemplo, podem exigir adaptações do empresário, sejam elas físicas ou em documentos.

Para o MEI, o alvará também é importante porque é sinônimo de uma empresa devidamente regularizada, comprovando que toda a documentação está em dia e a empresa funciona dentro da legalidade.

Consulta alvará de funcionamento

Não ter um alvará de funcionamento pode significar o fim de seu negócio, já que a falta deste documento pode gerar multa e, dependendo da situação ou da reincidência, o fechamento do estabelecimento.

São poucos os empreendimentos que não têm a exigência de alvarás e estas normas mudam de acordo com o município.

A maioria das grandes cidades disponibiliza na internet a consulta para alvará de funcionamento, que traz a lista dos documentos exigidos para dar entrada no processo.

Capital social

O capital social é o valor investido no início do empreendimento pelos sócios, é o poderio financeiro da empresa.

Faz parte do planejamento e da gestão de estratégia de qualquer empresa e é este valor depositado por cada sócio, por exemplo, que define as quotas de participação de cada um na empresa.

Não se trata do valor que o negócio tem no mercado ou quanto o empresário acha que ele vale, mas sim o valor definido pelos sócios no contrato social.

Integralização do capital social

A integralização do capital social se dá quando os valores investidos por cada sócio são, de fato, utilizados para a abertura da empresa.

Ele também pode ser integralizado não apenas por dinheiro em si, mas também com bens como máquinas, imóveis e veículos.

A integralização do capital social marca, de fato, o início efetivo da empresa.

Estes termos são mais comuns no campo da contabilidade, mas precisam ser compreendidos por qualquer um que decida entrar na área do empreendedorismo por meio de uma sociedade, principalmente durante a elaboração do contrato social e da constituição da empresa.

Por isso, mais uma vez, a necessidade contar com a ajuda de especialistas como advogados e contadores na elaboração deste documento.

Nele devem constar, além do valor atribuído a cada sócio, o tempo que cada um tem para integralizar o capital social, as penas para quem não cumprir o que for acordado e as ações que deverão ser tomadas caso seja preciso quitar dívidas.

A elaboração correta da integralização cria a estrutura que vai facilitar o relacionamento entre os sócios e mostrar a confiabilidade do negócio na hora de angariar mais investidores.

Capital de giro

O capital de giro é o dinheiro que será necessário para fazer o negócio fluir, para manter em dia toda a área financeira da empresa.

Como o nome indica, é o dinheiro que faz o negócio “girar”.

Mas afinal o que é capital de giro?

Trata-se dos recursos que permitirão que as operações da empresa continuem em desenvolvimento.

Dentro deste capital, entram os valores que serão usados para repor estoque, pagamento de fornecedores, salários dos funcionários, despesas com impostos e outros valores que serão necessários todos os meses.

Necessidade de capital de giro

Além de manter as contas da empresa em ordem, o capital de giro também é essencial para que seu negócio possa realizar vendas a prazo.

Isso porque, como seu cliente já pegou o produto ou serviço e ainda não fez o pagamento completo, temporariamente a empresa terá um déficit – pelo menos, até que o consumidor termine de quitar sua dívida.

Portanto, neste caso, você acaba recebendo menos do que investiu, o que geraria resultados negativos nas finanças.

Assim, é possível concluir que, sem o capital de giro, as operações podem ser interrompidas, comprometidas ou mesmo encerradas.

Capital de giro liquido

Existe um conceito que é importante de se entender que é o capital de giro líquido (CGL), ou capital circulante líquido (CCL).

Tanto no CGL quando no capital de giro normal, são levadas em considerações as despesas e receitas da empresa, tanto no setor operacional quanto no financeiro.

A diferença é que o CGL corresponde ao dinheiro que a empresa vai precisar para quitar todos os seus compromissos, como pagamento de impostos e de salários, dentro de um curto prazo, enquanto o capital de giro não considera os empréstimos e o saldo disponível na conta da empresa, por exemplo.

Como calcular capital de giro

Para não correr riscos e ser pego desprevenido, é preciso saber calcular o capital de giro e ter em mente o quanto você tem disponível e o quanto precisa ter à disposição para pagar as contas e ficar em dia em todas as áreas.

Basicamente, para calcular o CGL é preciso pegar os ativos circulantes e subtrair os passivos circulantes.

Os ativos podem incluir dinheiro em bancos e contas, contas a receber, bens e aplicações.

Os passivos são as contas que a empresa precisa pagar, dívidas com fornecedores, folha de pagamento, impostos e empréstimos.

Por isso, ter esses valores discriminados é importante para manter o controle e a saúde financeira de seu negócio.

Balanço patrimonial

Para resumir, o balanço patrimonial é basicamente a demonstração da contabilidade da empresa, com a posição financeira e patrimonial de maneira quantitativa e qualitativa, levando em conta diferentes aspetos.

Esse balanço patrimonial serve para mostrar qual é a situação financeira do negócio dentro do período de tempo, normalmente feito no intervalo de 12 meses.

Incluindo os ativos e passivos, deve ser preciso e detalhado porque ajuda a manter o controle da situação e a perceber quais são os principais custos e fontes de receita.

Balanço patrimonial e DRE

Enquanto o balanço patrimonial analisa, como o nome deixa claro, o patrimônio da empresa, a Demonstração dos Resultados do Exercício (DRE) analisa os resultados da empresa na ordem econômica.

É nele que aparecem os lucros e prejuízos da empresa dentro do ano de referência.

A DRE apresenta a situação contábil do negócio, com dados sobre o faturamento das vendas ou da prestação de serviço e os gastos com tributos, cancelamento de serviços contratados, custos operacionais e outras despesas recorrentes.

Estrutura do balanço patrimonial

O balanço patrimonial traz a lista de ativos e passivos da empresa.

Como ativos, entram os valores que estão em contas bancárias, no caixa, valores e bens que estão no estoque, contas para serem recebidas e investimentos que trarão retornos em curto ou longo prazo.

Já nos passivos, somam-se os pagamentos dos salários de funcionários, impostos, contas com fornecedores e despesas mensais (água, luz, telefone), além de empréstimos e outras despesas.

Pegando os ativos e subtraindo os passivos, você obtém o patrimônio líquido da empresa – o objetivo é que este valor seja sempre positivo, mostrando que a empresa, ao menos, consegue “se pagar” e não está dando prejuízo.

Analise de balanço patrimonial

Entender estes conceitos e saber como fazer a correta análise de balanço patrimonial é fundamental para quem embarca no mundo do empreendedorismo.

É preciso entender qual é a possibilidade de o negócio dar um retorno do capital inicial e gerar lucro (rentabilidade), além de avaliar as capacidades da empresa conseguir gerar receitas com o produto ou serviço prestado (produtividade) e a avaliação de como o estoque ou as contas a serem recebidas e pagas são gerenciadas (rotatividade).

Estes são itens básicos que ajudam a entender o balanço patrimonial e posicionar a empresa dentro deste aspecto.

Fluxo de Caixa

Ferramenta fundamental na gestão financeira de qualquer empresa, o fluxo de caixa é que vai demonstrar se o faturamento da empresa está, de fato, gerando lucro.

Isso porque não basta apenas ter um faturamento alto se os custos de produção e manutenção do negócio também são elevados.

O fluxo de caixa pode ser adotado por meio de uma planilha ou mesmo com uso de programas que auxiliam a monitorar a entrada e saída de capital, por menor que seja.

Para manter as contas em ordem e entender qual é a saúde financeira do negócio, é importante que este relatório seja realizado periodicamente – quando possível, o controle diário é o mais indicado, principalmente para pequenos negócios.

Fluxo de caixa diário

Com o fluxo de caixa diário, o empreendedor pode controlar a entrada e saída de recursos e entender para onde está indo o dinheiro da empresa, além de permitir cálculos e projeções que demonstrarão se o valor a ser recebido por meio do pagamento de contas ou da contratação de serviços será o suficiente para “fechar” o caixa no fim do mês, facilitando a tomada de decisões para solucionar ou prevenir possíveis faltas de dinheiro e até mesmo avaliando a possibilidade de realizar promoções e oferecer vantagens especiais aos clientes.

Exemplo simples de fluxo de caixa diário

É importante levar em conta as despesas fixas e variáveis da empresa e incluí-las no fluxo de caixa.

As fixas são aquelas que devem ser pagas periodicamente, como contas de água, luz e telefone e despesas com fornecedores.

São aquelas que têm uma “data de vencimento” fixa e que você sabe que precisará pagar independentemente do resultado daquele mês.

Você precisa ficar sempre de olho nas despesas fixas.

Já as despesas variáveis estão relacionadas à venda de produtos ou serviços, como os impostos que devem ser pagos por conta do número alto de vendas em um determinado mês ou como a necessidade de mais matéria-prima, além dos investimentos em marketing e publicidade.

Analise de fluxo de caixa

A análise de fluxo de caixa é uma ferramenta importante para fazer projeções e entender qual o momento vivido pela empresa.

Se você perceber que o resultado foi negativo, é possível estudar as planilhas e entender quais são as mudanças que podem ser implantadas para reduzir o déficit nas contas.

Caso os números sejam positivos, já dá para começar a pensar em como aprimorar o serviço ou produto para elevar ainda mais a qualidade.

Impostos

Se a questão tributária já aparece como desafio para as pessoas físicas, imagine então o quanto decisões equivocadas podem ser impactantes quando o assunto é imposto para empresas.

Quem não está acostumado a lidar com estas questões pode cometer erros simples e, dentro do empreendedorismo, a falta de experiência pode trazer sérias consequências para a empresa.

Por isso, é importante para o negócio poder contar com contadores tributaristas de confiança, que sejam capazes de orientar sobre todas as questões legais referentes à carga tributária.

Principalmente porque sonegação de impostos é crime e, por mais que a carga seja pesada, o preço por não estar dentro da legalidade é muito alto.

Os detalhes de cada imposto já foram discutidos, como as vantagens do Microempreendedor Individual (MEI) quando se encaixa no Simples Nacional e quais são as opções para empresas maiores.

Como benefício do Simples Nacional está a unificação de vários impostos municipais, estaduais e federais já que, mesmo se você tem um CNPJ, vai precisar pagar o imposto de renda: é o IRPJ (Imposto de Renda sobre Pessoa Jurídica).

Para o MEI, a alíquota é menor do que para empresas grandes, que pode chegar a percentuais bem “salgados” como o lucro presumido ou real.

Lucro

Afinal de contas, quando você abre uma empresa, tudo o que você mais quer ouvir é a palavra “lucro”, não é mesmo?

O que é lucro

Lucro é o resultado positivo do empreendimento, o valor que “sobra” quando é calculado o quanto de dinheiro entrou e quanto saiu.

É o retorno do investimento sonhado por todo empresário e o grande desafio para quem aposta no empreendedorismo para ganhar a vida.

Lucro Bruto

Para entender a diferença entre lucro bruto e líquido, é preciso lembrar o que são custos variáveis.

Se você tem um site que vende camisetas, por exemplo, poderá vender 1.000 camisetas em um mês e 100 camisetas no outro.

O seu gasto com matéria-prima será diferente nos dois meses, porque será relativo ao volume de vendas – este é o custo variável.

Com este conceito em mente, é possível entender que o lucro bruto de um negócio é o valor de toda a receita obtida com a venda das camisetas, menos os custos variáveis.

Lucro Liquido

Já o lucro líquido é o resultado da subtração entre a receita total e o custo total, que inclui aí os gastos fixos e variáveis, que já foram definidos anteriormente.

Margem de lucro

Para obter lucro, é essencial fazer o cálculo correto da margem de lucro.

Esta é a porcentagem que você pretende ganhar em cima da venda de cada produto, levando em consideração o valor investido para comprá-lo do fornecedor e o preço que o mercado consumidor está disposto a pagar por aquele produto.

Esta porcentagem do valor que o cliente vai pagar sobre o preço original é a chamada “margem de lucro” e ajuda definir o resultado do empreendimento.

Como calcular lucro

No caso do site que vende camisetas, por exemplo, se você adquire a matéria prima por R$ 10 e gasta mais R$ 10 na confecção de seu produto e no transporte, significa que, para você, aquele produto custa R$ 20.

É inviável vendê-lo a esse preço porque sua margem de lucro seria nula.

Quando você decide colocá-lo na prateleira online por R$ 100, está buscando uma margem de lucro de 400%.

Se em um mês foram vendidas 1.000 camisetas, seu custo de produção foi de R$ 20 mil e o faturamento foi de R$ 100 mil.

O lucro bruto, neste caso, foi de R$ 80 mil, mas é preciso retirar deste valor os gastos fixos, como contas de aluguel e salários de funcionários, para chegar ao valor do lucro líquido.

Distribuição de lucros

Prefira sempre a distribuição de lucros do que altas retiradas de pró-labore, assim você economiza com impostos na Pessoa Física.

Certidões Negativas

A certidão negativa é um documento emitido por órgãos governamentais, sejam eles federais, estaduais ou municipais, que comprovam que uma pessoa física ou jurídica não possui pendências jurídicas ou criminais.

É o documento que comprova a situação legal de uma pessoa, empresa ou até mesmo de alguns bens, como carros e imóveis.

Estes documentos são importantes para conseguir abrir contas e pegar empréstimos em bancos, por exemplo, além de serem exigidos se a sua empresa for entrar em alguma licitação ou concorrência pública e de também ser essencial na hora de elaborar contratos com clientes e fornecedores.

Em todos os âmbitos dos poderes Executivo e Judiciário, existem certidões negativas que podem ser emitidas – em alguns casos, até mesmo gratuitamente.

Certidões negativas federal

A certidão de débitos relativos a créditos tributários federais e à Dívida Ativa da União pode ser obtida de graça pelo site da Receita Federal.

Basta acessar o site da Receita e informar o CNPJ da empresa, além, é claro, de estar em dia com as contribuições tributárias e previdenciárias.

Já a certidão de regularidade do FGTS é obtida junto à Caixa Econômica Federal e serve para que o empresário possa manter relações com entidades públicas.

Também pode ser solicitada pela internet e é preciso estar regularizado junto ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Certidões negativas estadual

A certidão negativa de débito estadual será emitida pela Secretaria de Estado da Fazenda de cada unidade federativa e os critérios para emissão do documento variam em cada Estado.

O que não muda é que é preciso estar em dia com os tributos estaduais.

Na maioria dos casos, é possível fazer o requerimento pela internet, colocando uma lista de documentos que é solicitada no momento do pedido.

Além disso, que pretende disputar licitações e concorrências públicas precisa apresentar a certidão negativa de débitos trabalhistas, emitida por meio do TST (Tribunal Superior do Trabalho) com base nas informações que constam em todos os TRTs (Tribunais Regionais do Trabalho) – o documento mostra que a empresa está em dia com todas as obrigações trabalhistas, como pagamentos de salários e multas.

Certidões negativas municipal

A certidão negativa de tributos mobiliários e imobiliários é emitida pela Prefeitura de cada cidade e, também em muitos casos, pode ser requerida pela internet, no site oficial de cada órgão do Executivo.

Os documentos comprovam que não existe qualquer tipo de débito com relação ao pagamento do ISS (Imposto Sobre Serviços) e outros tipos de taxas referentes à prestação de serviços, além de demonstrar que não há dívidas relacionadas ao pagamento por asfalto, coleta de lixo e IPTU.

Liderança

Para alcançar os resultados desejados e obter sucesso no mundo do empreendedorismo, a liderança é uma ferramenta imprescindível.

Liderança

Afinal de contas, guiar uma equipe rumo ao topo não é tarefa das mais simples.

É preciso saber como lidar com cada indivíduo dentro de um grupo e encontrar a motivação dentro de si para despertar o desejo de vencer dentro de cada membro do seu time.

A liderança pode aparecer de maneiras diferentes e, conforme o desenvolvimento do mercado, novos tipos de líderes surgem com os mais variados perfis.

Tipos de liderança

Conforme a empresa Hay Group, que estuda o impacto do comportamento humano no andamento das empresas, ainda que este tipo esteja ficando ultrapassado, é comum ouvir relatos e até mesmo se deparar com os chefes mais violentos, que chegam até mesmo a agredir física ou verbalmente seus comandados.

Neste cenário de liderança “Coercitiva”, é difícil encontrar membros da equipe dispostos a serem proativos, sempre com medo de serem punidos.

A liderança “Autocrática” é semelhante, com a figura de um líder autoritário e centralizador e que está sempre focado nos resultados e nas tarefas.

Muito comum em empresas, este tipo costuma tirar pouco resultado da equipe porque não consegue estimular os comandados a trabalhar com prazer.

As grandes empresas têm apostado principalmente em uma gestão “Democrática”, com uma interação mais leve entre o líder e equipe.

Para que este tipo tenha sucesso, é importante montar uma equipe sênior ou que, ao menos, tenha a mistura de pessoas experientes com novos profissionais, para que a inexperiência não influencie na tomada de decisões.

O modelo de líder “Dirigente” é visto normalmente como visionário, que trabalha pensando nos resultados a longo prazo.

Ele se preocupa em motivar as pessoas e fazer com que o funcionário trabalhe com prazer, focando no diálogo com os membros de sua equipe.

A liderança “Afetiva” tem o líder como um pai ou alguém muito querido pelos funcionários.

Também muito baseada no diálogo, esta modalidade também pode trazer problemas principalmente em momentos de crise, em que seja necessário demitir alguém.

O abalo emocional de um líder pode trazer prejuízos irreparáveis à empresa, caso não haja uma clara separação entre trabalho e afeto.

Gestão de pessoas

Quando bem estruturada, a gestão de pessoas é capaz de promover o desenvolvimento dentro de uma empresa, atrair talentos e transformar o ambiente de trabalho em um lugar de prazer e comprometimento.

Gestão de pessoas

Manter uma equipe motivada, sempre com o respeito entre funcionários e líderes, é fundamental para que o ambiente tenha uma sinergia capaz de levar a resultados expressivos, gerando um efeito cascata que promove o crescimento da empresa.

Recrutamento e seleção de pessoas

A gestão de pessoas tem muito poder principalmente em empresas pequenas e médias, porque o contato com os superiores costuma ser mais direto e um bom relacionamento entre líderes e colaboradores deixa o ambiente mais agradável para todas as partes.

Uma etapa fundamental dentro do processo de recrutamento é avaliar o perfil do candidato para a vaga e para a empresa.

É importante contratar bem e dentro do que o empreendimento procura – uma pessoa que faz piada com tudo pode não ser o tipo ideal para trabalhar em determinadas empresas, mas alguém que não consegue levar as coisas na brincadeira pode não se encaixar em outros segmentos.

Avalie na contratação se o seu futuro colaborador tem resiliência, ou seja, se ele for contrariado ele saberá o momento de recuar? Ou esse colaborador ficará abatido, ou angustiado, quando receber um não? Será que o futuro colaborador conseguirá colocar um ponto final em temas já abordados, discutidos e alinhados? Estas perguntas precisam ser feitas pelo recrutador para entender qual o perfil do candidato e qual a possibilidade dele se encaixar no que é proposto pela empresa.

Então o colaborador precisa ter a capacidade de se expor, de mostrar, e ao mesmo tempo de ouvir não, de não recuar, de não desistir, de persistir.

Fique atento no recrutamento e seleção de pessoas

O recrutador também precisa ficar atento a algumas características que são essenciais para determinadas áreas.

O candidato que quer trabalhar na área financeira ou administrativa precisa ser uma pessoa organizada, ter um bom relacionamento com números e gostar de trabalhar em um sistema, ser capaz de se adaptar às mais diversas áreas como Recursos Humanos, Marketing ou Produção.

Já para a área comercial, é primordial que o colaborador seja comunicativo, tenha organização e se mostre um profissional flexível, capaz de contornar situações de imprevistos, além de entender como pensa o cliente e dominar as estratégias de venda.

Para o web designer, o recrutador deve procurar saber se o candidato domina ferramentas como editores de códigos, linguagem web e de edição gráfica, além do bom relacionamento interpessoal e organização.

Treinamento

O treinamento é outra etapa fundamental para ter uma equipe preparada e capaz de solucionar problemas e atender às expectativas da empresa.

O colaborador precisa entender o contexto em que está inserido, e quando se trata de uma franquia, o treinamento precisa ser ainda mais árduo.

Isso porque o modelo e as regras são estabelecidas na Franqueadora e devem ser seguidos à risca por todos os franqueados.

Relacionamento Interpessoal

Viver hoje dentro de uma organização não depende do tamanho dela, é necessário o relacionamento interpessoal.

Toda pessoa precisa desenvolver a capacidade de se relacionar bem com todos os setores da empresa, não importa se ela é pequena, média ou grande.

Desde o porteiro até o diretor máster, o colaborador e os líderes precisam saber “flutuar” em todas essas áreas, porque existem clientes, fornecedores, colegas de trabalho, funcionários e a própria franqueadora, caso o empreendimento seja uma franquia.

Cultura Organizacional

Todos precisam entender como é a cultura organizacional da empresa, qual é o “jeitão” dessa empresa, pois é necessário quem entrar na empresa para colaborar se adaptar a esse “jeitão”.

Então é importantíssimo as pessoas entenderem que cada empresa tem esse “jeitão” que se chama cultura organizacional.

Se os colaboradores não se adaptarem ou se alinharem a cultura organizacional ficará muito difícil existir uma sinergia positiva.

Indicadores financeiros

Indicadores financeiros

A análise de indicadores financeiros é uma ferramenta que ajuda a medir e controlar a saúde financeira de qualquer empresa.

Ela é importante para a sobrevivência do negócio no mundo do empreendedorismo e ajuda a medir os riscos e potenciais da empresa.

O monitoramento adequado de alguns indicadores pode mostrar como estão as finanças e apontar quais são os caminhos a serem tomados em alguns casos.

Custos fixos

É preciso tomar cuidado com alguns indicadores específicos como os custos fixos, como aluguel, luz, telefone, limpeza, vigilância e manutenção de equipamentos.

Eles são importantes para a empresa, mas se estiverem em excesso no balanço, podem levar a problemas sérios.

Faturamento x Lucro Liquido

Também é importante ficar ligado na diferença entre faturamento e lucro líquido para não cair em nenhuma armadilha.

O faturamento é o que entra de dinheiro na empresa com a venda de produtos/serviços ou então com o recebimento de contas, mas isso não quer dizer que a empresa teve lucro.

Para fazer esta conta, é preciso descontar quais foram os gastos do mês, compará-los com o faturamento e qual o valor que resta.

É um erro comum dos empreendedores mais inexperientes.

Capacidade de vendas x capacidade produtiva

Também é preciso monitorar a capacidade de vendas e de produção.

Não adianta prometer vendas para muitos clientes se não for capaz de entregar ao fim do prazo.

Isso pode tirar a credibilidade do negócio e trazer prejuízos futuros.

A lógica inversa também é perigosa: cuidado para não produzir além do que pode vender, aumentando os custos de produção sem necessariamente aumentar o faturamento.

Monitore tempo de cada atividade

O empreendedor também deve controlar o tempo de cada atividade e otimizar as ações para evitar desperdício de tempo e dinheiro.

Contas a pagar e receber

O monitoramento entre contas a serem pagas e recebidas também faz parte dos indicadores que precisam ser acompanhados de perto, assim como a inadimplência do cliente consumidor e o controle do fluxo de caixa.

Exemplo prático

Em uma empresa que vende a criação de sites, por exemplo, é possível avaliar custos fixos como o pagamento dos salários dos funcionários, aluguel da sede física, gastos com internet e luz e manutenção das máquinas, por exemplo.

Dentro deste cenário, quando se aumentam os custos fixos, gera-se um risco para as finanças da empresa.

Um indicador que também pode ser monitorado neste caso é ter muita demanda para pouca equipe: com apenas um ou dois funcionários, é difícil assumir o compromisso de entregar 80 sites.

Gestão Comercial

Gestão Comercial

Tema até mesmo de cursos superiores e pauta recorrente quando o assunto é empreendedorismo, a gestão comercial consiste na administração dos recursos e ferramentas que circundam a atividade comercial de qualquer empresa.

E apesar de ser uma parte fundamental para o crescimento de qualquer negócio, não é toda empresa que dispõe de um funcionário ou uma equipe para cuidar desta área base para o empreendedorismo, que domine as técnicas e os recursos que são necessários para prospectar e manter relacionamento com clientes.

A prospecção de clientes é importante até mesmo para aqueles que já se consideram experientes e “cheios” de contatos.

Ter uma carteira lucrativa de clientes não pode ser sinônimo de estagnação e essa atividade da área comercial consiste justamente em não ficar parado: prestar atenção e ficar esperto para qualquer tipo de oportunidade que possa incluir seu empreendimento.

Por isso, conhecer o mercado e oferecer soluções são duas das mais básicas ações para quem busca investir no empreendedorismo.

Os clientes atuais e a tecnologia também devem ser usados a seu favor para encontrar novos clientes.

Outra dica importante é fazer do “follow-up” uma prática comum dentro do setor comercial – manter contato com seus clientes mesmo depois de fechar negócio ajuda a cultivar um bom relacionamento.

Mande e-mails, ligue para ele de tempos em tempos para oferecer ajuda e soluções, lembre-se de fixar sua marca com ele e, dessa forma, seu cliente pode te ajudar a conseguir novas contas e deixar sua carteira ainda mais lucrativa.

Existem alguns indicadores comerciais que apontam para o sucesso ou para a estagnação do setor comercial das empresas.

Todo profissional ligado ao empreendedorismo precisa ficar atento a alguns deles.

Quantidade de novos contatos x quantidade de novos clientes efetivados

Essencial para o sucesso de qualquer área comercial, o número de contatos deve ser avaliado sempre pelo colaborador responsável por essa área.

Mas é importante prestar atenção em quantos destes contatos foram receptivos e quantos, de fato, decidiram fechar negócio – qual foi o “aproveitamento” dos novos contatos no último mês? Trace objetivos claros e verifique ao fim de cada período se suas metas foram atingidas e como está o desempenho da equipe comercial.

Valor de venda x valor de faturamento

Outro ponto que merece uma atenção especial de todo profissional voltado ao empreendedorismo é a relação entre valor de venda e valor de faturamento.

Não adianta cobrar um preço mais barato do que o concorrente se seu faturamento será inferior ao dele, porque isso vai pesar na hora de fechar a conta do mês e não valerá a pena.

É a diferença entre lucro e faturamento: nem todo o valor que entra na empresa pode ser considerado lucro e é preciso calcular o valor correto para a venda do serviço ou produto para obter um faturamento justo, necessário e compatível com as dimensões da empresa.

Utilize o e-mail marketing

O domínio da tecnologia da informação se mostra eficaz e importante na hora de definir a utilização do e-mail marketing.

Ferramenta importante para o empreendedorismo e que consiste em comunicar seu produto ou serviço via e-mail.

Ele pode ser usado para oferecer vantagens, promoções ou mesmo para estreitar o relacionamento entre empresa e cliente.

Engenharia de produção

Ciência fundamental em praticamente todos os setores do empreendedorismo, a engenharia de produção é o responsável por administrar os recursos materiais, humanos e financeiros de uma empresa focando sempre no desenvolvimento do negócio, no faturamento e na produtividade.

Engenharia de produção

E apesar de o nome remeter a produto, a engenharia de produção é importante mesmo no setor de serviços, como a criação de sites.

Gestão da produção

Esta prática deve seguir técnicas de gerenciamento com base de economia, que aprimorarão a gestão de produção e de tempo, garantindo que produção e entrega aconteçam dentro dos prazos necessários para atender aos clientes e com a qualidade prometida no momento da venda.

Além disso, coordenar as atividades logísticas e muitas vezes comerciais da empresa, além de definir as escalas de trabalho de prestadores de serviço e de receber o feedback dos clientes.

Planejamento e controle da produção

Novamente, ter um bom planejamento e acompanhar as ações de sua equipe trará resultados positivos porque permite que você tenha um controle maior do andamento da empresa.

Ficar atento aos indicadores de produção facilita na hora de avaliar os resultados, encontrar as falhas e aprimorar os serviços.

Quanto sua equipe consegue entregar x prazos de entrega

Quando entrar no mundo do empreendedorismo, é importante entender o quanto a equipe consegue entregar do serviço ou do produto oferecido, e qual o prazo que cada membro precisa para fazer sua parte.

Aliando sempre à necessidade do cliente e buscando um “meio termo” entre as partes para que ninguém fique sobrecarregado.

Quantas reclamações de qualidade

O marketing de relacionamento também entra nos indicadores de produção e ter um feedback dos clientes é importante para monitorar a qualidade do seu produto desde o início no empreendedorismo até o auge da empresa.

As reclamações ajudam o empreendedor a entender como seu produto ou serviço é visto no mercado e, quando há interesse e dedicação na gestão, é mais fácil de manter os clientes.

Quais os custos de produção (Valor da hora RH, Impostos, tempo investido)

Ter o domínio dos custos de produção ajuda o empreendedor a controlar os gastos, projetar faturamentos, lucros e tomar atitudes preventivas.

Além de permitir planejar ações futuras com base nos lucros obtidos.

É importante saber qual é o valor da hora trabalhada por cada funcionário e quanto custa cada hora de funcionamento da sua empresa para saber qual é o retorno do produto ou serviço comercializado.

O cálculo do tempo investido sobre o preço final que será cobrado do cliente também deve entrar na lista de indicadores de custo de produção.

Nesta mesma seara, os impostos pagos sobre a prestação de serviços, sobre a comercialização de produtos e sobre a exportação e importação de matéria prima e produtos finalizados também precisa entrar na conta para se entender qual o custo da produção.

Concluindo

O empreendedorismo é um caminho seguido por milhões de brasileiros que buscam uma vida melhor e sonham em ter um negócio próprio.

O percurso é longo e árduo e certamente muitas adversidades vão aparecer.

É preciso ter força de vontade e foco para superar os problemas e atingir os objetivos.

Além do apoio de profissionais qualificados, uma opção que pode ser a saída para quem deseja entrar no mundo do empreendedorismo é optar por uma franquia.

Por já ter um modelo testado, comprovado, e também por oferecer apoio nos mais diversos segmentos para o empreendedor.

As franquias surgem como opção viável e vantajosa para quem decidir abrir o próprio negócio e tomar conta da própria vida.

Se você precisar de ajuda para escolher a melhor franquia para investir, ou simplesmente deseja abrir o seu próprio negócio, para ter mais segurança, liberdade e crescer, fique à vontade para falar conosco.

Gostou do nosso conteúdo sobre Empreendedorismo? Se você precisar de ajuda para começar um novo negócio fale agora mesmo com a nossa equipe.

A missão das Franquias de Sucesso é trazer performance ao seu negócio por meio da internet!

Se gostou desse artigo nos acompanhe nas redes sociais e confira muitos outros conteúdos exclusivos: estamos no Facebook, no LinkedIn, no Instagram ou no YouTube!

Transforme suas ideias em performance digital!

e aí, GOSTOU? COMPARTILHE!

vamos CONVERSAR?

Você tem uma ideia que precisa tirar do papel?