curso de vendas
Copywriting tudo o que você precisa saber

Copywriting: o que é, exemplos e técnicas de copywriting

Blog   ·  Criado em 17/09/2019   ·   Atualizado em 24/06/2021   · ​ 59 minutos

Copywriting tudo o que você precisa saber

Copywriting é a habilidade de convencer seus leitores, ou potenciais clientes, a realizarem uma ação em uma página. E, o copywriter é responsável em escrever um copy que envolva as pessoas de um jeito que gere novos negócios para uma empresa através das técnicas de copywriting.

Mad Men, uma aclamada série que apresentava a rotina de uma agência de publicidade nos anos 60, mostrava perfeitamente a importância de uma copywriting para uma marca, uma empresa, um negócio.

Don Draper, o protagonista da série, em um dos episódios traz um insight valioso sobre o assunto:

“A propaganda se baseia em uma única coisa: felicidade. E o que é felicidade? Felicidade é o cheiro de carro novo. É ficar livre do medo. É um outdoor à beira da estrada que grita e te reconforta ao dizer: não importa o que você fizer, está tudo bem. Você está bem.”

Com isso, Don nos mostra que a arte de escrever não se resume apenas a um jogo de palavras e, sim, a arte de criar conexões por meio das palavras e dos desejos dos consumidores (a felicidade).

Qual estratégia é responsável por gerar essa felicidade que empresas e pessoas buscam? O copywriting. O marketing, seja offline ou digital, sempre se beneficiou de uma boa copywriting para converter clientes e transformar pequenos negócios em verdadeiras máquinas de fechar vendas.

Mas para que isso realmente funcione, é importante conhecer as técnicas de copywriting que devem ser aplicadas para que uma copy seja perfeita e consiga converter. Por isso, aqui estão alguns segredos do copywriting.

Mas, antes de tudo, vamos entender melhor o que é copywriting? Confira!

O que é copywriting?

O que é copywriting?

Quando uma empresa está buscando por serviços de copywriting, a primeira pergunta que vem à mente é o que é copywriting? O copywriting é uma estratégia de produção de conteúdos com o objetivo de esclarecer e convencer possíveis clientes a realizarem uma determinada ação.

Afinal, é imprescindível encantar e engajar as pessoas por meio da troca de informações, e principalmente, na arte de contar boas histórias. Por isso, o copywriting vai muito além do “compre agora”.

Essa estratégia envolve gatilhos mentais e técnicas que garantem um envolvimento emocional com o objetivo de gerar conversões. Engana-se quem pensa que essa é uma técnica recente de escrita. Na verdade ela é bem antiga.

A história do copy

O termo copy (texto) foi criado pela primeira vez por Noah Webster, em 1828. 

E referia-se ao ato de escrever textos criativos e inovadores entre os jornalistas e impressores. Para se diferenciar dos tradicionais redatores de anúncios da época, os profissionais de copywriting passaram a se chamar de copywriters.

Com a popularização da internet, o copywriting passou a ser aplicado no mundo digital. 

Entendeu o que é copywriting? Para você não ficar confuso em relação aos conceitos da redação dos publicitários e da redação dos profissionais de marketing, vamos explicar a diferença a seguir.

Qual a diferença entre copywriting e redação publicitária?

Você já sabe o que é copywriting, certo? O copywriting é a arte de escrever para vender usando as palavras certas para se comunicar com o público, guiando-os à uma tomada de decisão. Mas, o que é redação publicitária?

Redação publicitária é a técnica de criar campanhas de divulgação, que buscam chamar a atenção dos consumidores, para vender produtos ou serviços de uma empresa. E, o que diferencia essas duas áreas: copywriting e redação publicitária?

O copywriting tem uma forte chamada para a ação enquanto a redação publicitária é um anúncio de vendas diretas. Lembrando que essa ação pode ser entrar em contato, baixar um ebook ou, até mesmo, comprar algo. 

Assim, podemos observar que esses dois tipos de redação são complementares.

O que é um copywriter?

O que é um copywriter?

Já aprendemos o que é copywriting e o que a diferencia da redação publicitária, e é importante também entender o que é um copywriter, pois são coisas diferentes. 

O copywriter é o profissional responsável pela produção dos conteúdos, utilizando as técnicas de copywriting. É aquele quem faz as pesquisas, analisa as personas, estuda a língua e a usa a seu favor.

Tudo para garantir o máximo de eficiência em seus textos e atingir seus objetivos com cada um deles.

Além disso, é necessário ter um excelente conhecimento de linguagem para saber a melhor maneira de usar as palavras, as pontuações e as expressões. Se você quer se tornar um copywriter, mantenha-se atualizado e atento às coisas que acontecem na web.

Também estude as personas de cada projeto e jamais deixe de lado o estudo da gramática. Além disso, para ser um bom copywriter você precisa aprender muitas técnicas de copywriting para criar um conteúdo "matador" e conseguir gerar performances incríveis.

Entendeu o que é um copywriter? Esperamos que sim. E se o seu desejo é contratar um redator especializado, então valorize este profissional e troque sempre informações para que ele possa conhecer o seu negócio profundamente.

Ah! Se precisar de ajuda em serviços de copywriting ou para criar um site, loja virtual, blog ou portal, pode tirar as dúvidas com a gente.

O que é copy?

O que é Copy?

Agora que você já entendeu o que é copywriting e copywriter para explicar o que é copy ficou fácil. Traduzindo ao pé da letra, copy nada mais é do que um texto ou uma redação criativa. Podemos dizer que a copy é todo o produto acabado do trabalho que um copywriter realiza.

Refere-se a textos de anúncios, slogans, blog posts, landing pages, ou seja, todo conteúdo de uma marca que tem como um objetivo a conversão. Para deixar claro, o copywriter usará as técnicas de copywriting para criar a copy perfeita. Entendeu?

Agora vamos navegar um pouco por esse universo para que você tenha ideia do alcance que as técnicas de copywriting podem gerar para qualquer negócio que saiba fazer uso delas.

E, para ficar mais prático, daremos alguns exemplos de copywriting para vendas. Vamos lá...

Como o copywriting pode afetar o meu negócio?

As palavras são poderosas, por isso, quando utilizamos corretamente as técnicas de copywriting podemos aumentar as taxas de conversão.

Prova disso é que existem dois tipos de empresas no mundo dos negócios:

  1. Aquelas que criam bons produtos e serviços;
  2. Aquelas que criam bons produtos e serviços e sabem vender.

Afinal, você pode criar algo incrível, mas ninguém vai se importar com ele se não souber se comunicar, e com isso vender.

Cabe a você escolher o que você quer para o seu negócio. O problema é que muitas empresas ainda subestimam o quanto as boas técnicas de copy podem afetar uma tomada de decisão.

Pense… você nunca comprou um produto ou contratou um serviço depois que viu um bom anúncio na TV ou nas redes sociais? Provavelmente sim, não é? E, o mesmo acontece com os seus potenciais clientes. Mas por que isso dá certo?

Como vimos no início deste artigo, o grande segredo do copywriting está em saber como usar as palavras para mexer com as emoções das pessoas. Tanto é que a única resposta que os clientes querem saber é: “o que eu ganho se comprar isso?”.

Isso porque elas querem ter algum tipo de vantagem.

Então, o copywriter aproveita essa oportunidade para escrever copys que mostrem os benefícios de uma determinada solução. Dessa forma, as chances de vender algo aumentam. Por isso, o copywriting é importante para qualquer negócio.

Quais são os pilares de um copywriting de qualidade?

Criar um COPYWRITING incrível e que vende não é uma tarefa simples, mas se você está começando pode se basear em quatro pilares:

1. Chamar a atenção

Se você quer atrair as pessoas para depois convencê-las a fazer algo, então precisa primeiro chamar a atenção delas.

Chamar a atenção de uma pessoa na internet não é algo tão simples. Isso porque segundo uma reportagem da Revista Super Interessante, até os 60 anos de idade, teremos visto mais de dois milhões de anúncios.

São 16 mil horas vendo mensagens comerciais, aproximadamente três mil anúncios por dia! E essa pesquisa foi apresentada em 2018, imagine o quanto ela não andou até hoje por causa da internet e do crescimento do marketing digital?

Isso prova que você precisa chamar a atenção do seu cliente no meio de outros três mil anúncios. Para isso, você precisa conhecer profundamente sua persona. Por exemplo, imagina que seu objetivo é vender carros. Você vende carros para mulheres da mesma forma que vende para homens?

Não. Pois, geralmente, os homens compram carros eles pensam em comprar um carro que lhes dê a sensação de poder e status enquanto as mulheres dão mais prioridade para o conforto e as funcionalidades.

Então, para criar um copy que chame a atenção você precisa conhecer muito bem sua persona.

2. Instigar a curiosidade

Também foque em seu público para instigar a sua curiosidade ao construir uma copy. Como? Ao recorrer a algo específico, pode ter certeza de que isso vai chamar a atenção. Afinal, quando você deixa tudo muito amplo, você não atrai a curiosidade daqueles que querem comprar aquilo que você tem a oferecer.

Sabe por quê? Porque a curiosidade faz parte de todos nós.

Existem algumas técnicas que você pode aplicar nos títulos (title tag) dos seus textos para gerar a curiosidade no leitor e, assim, prender sua atenção, que é o uso do gatilho mental de curiosidade utilizado em uma situação de controvérsia e polêmica.

Um exemplo de healine com gatilho de curiosidade é: como um fisiculturista descobriu um método simples e rápido de ganhar massa muscular sem precisar se matar de malhar na academia!

Isso não gera uma curiosidade muito forte? Porque a gente acredita que é preciso passar muitas horas malhando pra ficar com um corpo musculoso.

3. Ser autêntico, honesto e confiável

É muito fácil criar uma landing page e vender um produto ou serviço. Difícil mesmo é conseguir convencer um desconhecido a pegar o seu cartão de crédito para fechar uma compra, pagar um curso ou fechar um negócio.

Esse é o trabalho da COPYWRITING.

Por isso, quando criar um copy não esqueça:

  • De se apresentar. Sabe a página “Quem Somos”? Ela foi feita para você se expor para as pessoas, mostrar quem é sua empresa, sua filosofia e aquilo que você acredita.
  • Não copie seu concorrente. Ninguém quer “mais um desses” no mercado. Eles querem algo que nunca viram antes.
  • Seja fiel aos seus princípios. Se você já se posicionou no mercado de um jeito, seja firme. Mude apenas para o melhor.
  • Não abuse dos superlativos. As pessoas não são bobas, tudo o que é demais gera sempre desconfiança.

4. Incentivar a uma ação

Quer que o seu público faça algo? Então, peça a eles. Há várias ações que desejamos que sejam realizadas, como preencher um formulário, entrar em contato, fazer um download, fazer um cadastro para receber newsletter, dentre outros.

Todo o seu texto deve conduzir o leitor para uma chamada.

Por exemplo, pense numa empresa que oferece um software de gestão com um período de teste. Sua copy poderia ser: O ERP que você precisa para o seu negócio. Comece seu teste grátis por 15 dias. E, sua CTA: Começar meu teste gratuito agora.

Muitas pessoas pensam que podem escrever, mas a realidade é que convencer um completo estranho a fazer algo usando apenas as palavras é difícil.

Afinal, leva anos para grandes profissionais entenderem a psicologia humana e aperfeiçoarem suas técnicas de COPYWRITING (redação).

Vimos que muitas vezes o problema não é o que você está vendendo, mas a forma com que você está vendendo. Se o COPYWRITING for bom, você vai conseguir vender gelo para esquimós!

O segredo é ser interessante, relevante e envolvente para convencer o leitor a agir.

Quais são as principais técnicas de Copywriting?

Técnicas de Copywriting

Para criar bons textos é necessária a aplicação das diversas técnicas de copywriting. Separamos algumas delas aqui para você acertar na construção de conteúdos. Veja só:

1. Faça pesquisas

David Ogilvy, o pai da publicidade, um dia disse: “enche sua mente consciente de informações”. Como fazer isso? Por meio da pesquisa.

A pesquisa é algo que não tem preço. Por isso, antes de fazer qualquer coisa: pesquise. Quanto mais informação tiver, mais possibilidades você terá de construir uma boa copy.

E o que você deve pesquisar? Tudo o que você puder aprender sobre copywriting, campanhas que fizeram e fazem sucesso dentro e fora do segmento do seu negócio e sobre o seu público.

Só assim é possível retratar um produto/ serviço que atraia o consumidor.

2. Fale a verdade e entregue soluções reais

Clientes querem respostas. Entenda as dores dos seus clientes e responda isso em seus textos, apresentando soluções verdadeiras e eficientes. Mentira tem perna curta e a verdade sempre vem à tona. Mais cedo ou mais tarde.

Muitas vezes isso acontece porque os profissionais de marketing ou empreendedores no intuito de querer convencer alguém a fazer algo acaba cometendo o erro de fazer promessas que não podem ser cumpridas.

Então, trate seus leitores com respeito e entregue a eles somente o que o seu negócio pode entregar. Desse jeito você evita confusões, problemas e ainda mantém a sua credibilidade intacta.

3. Seja claro e objetivo

Menos é sempre mais. Ainda mais na internet. Ser claro é ser fácil de ser compreendido ou entendido. Ainda mais com o tempo que não pode ser gasto com assuntos irrelevantes.

Seja direto. Isso facilita a comunicação. Já ouviu o termo "encher linguiça"? É isso. Não enrole seus leitores e vá direto ao ponto sem enrolações. Até mesmo quando for contar histórias.

4. Use palavras simples

Evite palavras técnicas demais ou difíceis demais. Apenas em casos que existe contexto.

O ideal é que você use a linguagem que sua persona usa e de forma natural. Leituras com termos muito complicados e pouco compreensíveis não são lidos até o fim e não resultam na ação desejada.

Mas cuidado. Utilizar palavras simples não significa usar termos informais, principalmente se o seu público não for um grupo de jovens que tem um linguajar mais solto.  E, seja simpático.

Afinal, as pessoas tendem a reagir melhor quando falamos de forma simpática.

5. Faça perguntas

Boa parte das pessoas usam a internet para encontrar uma resposta, um motivo, o porquê. Por isso, usar perguntas para envolver os leitores é sempre uma boa ideia para gerar interesse. Mas faça perguntas que gerem respostas positivas e inteligentes, que faça seus leitores pensarem e refletirem em suas respostas.

Principalmente se a resposta estiver relacionada ao seu produto ou serviço. Evite, ao máximo, deixar seus leitores com mais dúvidas. Você está aqui para tirar dúvidas e não deixar as pessoas com mais dúvidas ainda.

É necessário construir boas respostas para as perguntas envolvendo seus produtos, serviços e até mesmo mercado.

6. Use CTAs convincentes

Use CTAs – call to actions, chamadas para a ação – claras, convincentes e extremamente diretas, como vimos no tópico anterior. Nela você pode criar promoções, oferecer benefícios ou algo em troca de uma ação. Este tipo de artifício sempre funciona entre os leitores.

É claro que isso vai depender da estratégia que foi desenhada. Outra dica sobre CTA é provocar no leitor o sentido de urgência. Ou a sensação de que ele pode perder algo se não seguir sua orientação.

Sempre aposte em verbos no imperativo para que ele realmente compreenda a mensagem.

7. Conte boas histórias

Storytelling é a arte de contar histórias, é uma das principais técnicas de copywriting. Um bom contador de histórias é aquele que constrói bons conteúdos. Então, lembre-se disso na hora que estiver construindo seu copywriting. Mas atenção!

Contar boas histórias não significa que você deve começar com um "era uma vez" e criar personagens que não existem. É criar uma estrutura de texto inteligente, com começo, meio e fim e que leve as respostas que seu buyer persona está buscando. Aprenda a contar boas histórias com storytelling – o que é storytelling!

8. Transmita emoções e gere valor

Emoções ajudam a vender e a conquistar consumidores, não é mesmo? Por isso, venda emoção em seu copywriting. Seja alegria, amor ou outros sentimentos positivos. Este tipo de técnica ajuda a aproximar a marca dos seus clientes e facilita muito na hora de convencer a tomar alguma atitude.

Não venda seus produtos pelos seus atributos racionais ou por preço. Venda um valor agregado. Cada produto e serviço devem encontrar onde pode garantir este "quê" a mais, capaz de diferenciá-lo de verdade das soluções oferecidas pela concorrência.

Isso é importante porque as pessoas compram com a emoção e justificam com a razão. E o que isso quer dizer? Primeiro elas compram algo pelo o que ele pode gerar para ela e depois avaliam os atributos do produto.

9. Adicione mais interesse

Não sabe o que escrever? Adicione interesse. Você precisa ser fascinante e levar as pessoas a comprar seu produto. Quer saber como? Não se esqueça de:

  • Criar conteúdos escanceáveis e visualmente atraentes;
  • Apresentar uma personalidade exclusividade;
  • Criar algo divertido (isso não significa piadista ou engraçado, lembre-se da persona);
  • Contar histórias.

10. Troque descontos por bônus

Descontos são excelentes formas de conquistar clientes e fechar compras, mas isso pode sair muito caro para a empresa porque está deixando de ganhar dinheiro. Trocar os descontos em dinheiro por outros bônus pode ser tão eficiente e mais efetivo para sua empresa.

Os bônus podem variar de um mercado para outro e o tipo de consumidor que costuma atingir. Podem ser outros produtos agregados, embalagens de presente, entregas grátis, e afins. Dependendo do que for, é muito mais vantajoso para a empresa do que oferecer descontos.

11. Aposte na repetição e em microtextos

Clientes são como crianças. É necessário repetir para que as informações grudem na mente, ou seja, para reforçar a sua mensagem. Mas, com cuidado! A melhor maneira de não parecer chato é usando sinônimos.

Então, use sinônimos em frases de impacto e encontre formas diferentes de falar a mesma coisa. Chamadas, frases curtas e complementos de texto ajudam a manter o interesse do leitor por mais tempo também ajudam a reforçar a mensagem sem cansar o leitor.

12. Objeções devem ser antecipadas, tire todas as dúvidas

Se você conhece a fundo seu produto ou serviço, sabe quais são as necessidades reais do seu público e vai conseguir perceber que tipo de dúvidas ele pode ter ao ler seu conteúdo.

Portanto, antecipe as dúvidas, respondendo às perguntas antes que elas apareçam. Este tipo de tática é excelente para garantir a persuasão.

Mas quais são as principais objeções em vendas? “Desculpe, mas estou sem tempo”, “Eu não preciso disso”, “Achei muito caro”, “Não conheço sua empresa”. E você pode quebrar cada uma delas com uma copy bem feita.

13. Mensure tudo o que fizer

A melhor vantagem dos dias atuais para o marketing digital e para o copywriting é a possibilidade de mensurar tudo. Para saber se as técnicas de copywriting estão no caminho certo, consulte as métricas de acordo com os canais escolhidos.

exemplos de copywriting

Vejamos a seguir exemplos de copywriting para os principais canais de comunicação:

a. Blogs e sites

A eficiência do copywriting em blogs e sites pode ser medida de forma muito fácil. Uma delas é totalmente gratuita e disponível em todo o mundo. Trata-se do Google Analytics, que mostra gráficos com dados precisos de tudo que acontece.

Mas entre tantas métricas, quais são as mais relevantes para medir a eficiência de um copywriting? Veja a lista abaixo:

  • Visitas na página: mostra a quantidade total de pessoas que acessaram determinada página ou conteúdo;
  • Visitas únicas: mostra a quantidade de pessoas únicas que visitaram o conteúdo. Isto é, mesmo que tenham voltado várias vezes, serão contabilizadas somente uma vez;
  • Taxa de rejeição: significa que entraram na página, mas saíram imediatamente, ao perceberem que o conteúdo não era o que esperavam, ou não tomaram nenhuma ação, como um clique por exemplo. Verifique se o trabalho com SEO e se as palavras-chave estão sendo utilizadas de forma correta, ou se os seus Call to Actions estão de acordo;
  • Tempo gasto na página: esta métrica é essencial para garantir que as pessoas estão sendo fisgadas pelo seu copywriting. Se o tempo na página for muito curto e não garantir a leitura correta, é hora de repensar suas estratégias.

Se você utilizar um blog, mantenha a estrutura site com br/blog, ou site com/blog, assim você consegue medir com mais facilidade tudo o que foi acessado na pasta /blog, em vez de ter que controlar os acessos de cada post do seu blog.

b. E-mail

Se você gosta de enviar copywriting por e-mail, ou convida seus consumidores usando essa ferramenta, pode ficar de olho nas métricas. Elas podem ser visualizadas por meio de sua ferramenta de envio ou pelo próprio Google Analytics, ou utilize as estatísticas em sua ferramenta de e-mail marketing. Acompanhe sempre:

  • Abertura: para verificar se as pessoas estão realmente abrindo suas mensagens ou estão indo direto para o spam ou deletadas;
  • Cliques: quando os e-mails que foram abertos realmente resultaram em cliques, indo para as páginas indicadas pelos CTAs;
  • Taxa de descadastro: quantas pessoas por mês solicitam o descadastro dos e-mails enviados pela sua empresa? Você sabe os motivos que estão levando as pessoas a tomarem esta decisão? Fique atento e faça um bom acompanhamento.
  • Confira outras ferramentas de marketing digital que você poderá utilizar.

Queremos aproveitar e mostrar para você um comparativo feito sobre as melhores soluções de email profissional do mercado.

c. Facebook

Postagens no Facebook também devem ser acompanhadas de perto para avaliar sua performance. As métricas ainda ajudam a encontrar insights vindos dos próprios seguidores e ajudam a encontrar formas de melhorar o copywriting.

As métricas que devem ser avaliadas na maior rede social do mundo são:

  • Seguidores: acompanhe o crescimento de seguidores na página. Isso indica que o conteúdo está sendo compartilhado e aprovado;
  • Compartilhamento: bons conteúdos são compartilhados entre os amigos. Teste seu copywriting verificando estes dados;
  • Curtidas: essencial para saber se o que você posta, está de acordo com o que seus seguidores realmente gostam;
  • Comentários: nos dias de hoje, o consumidor quer abrir um canal de comunicação, dando sua opinião e melhorando a discussão. Fique atento não somente à quantidade de comentários, mas se estão sendo positivos ou negativos, e responda sempre os comentários.

d. Para todos os canais:

Independentemente do tipo de canal escolhido, acompanhe sempre se as metas que determinou para seus conteúdos estão sendo atingidas. Por isso, fique de olho:

  • quantas propostas, pedidos e vendas efetivadas foram efetivados pela campanha. Não se esqueça também de comparar um canal com o outro para verificar qual está sendo o mais efetivo. Pode estar se perguntando, como eu vou saber de qual canal veio o cliente? É simples, pergunte para ele!;
  • custo de produção e distribuição: acompanhe o quanto está gastando com a divulgação;
  • retorno de investimento de cada campanha: fique atento sempre ao valor que cada compra está conquistando, o que pode ser feito dividindo o valor total por vendas realizadas. Com isso, vai conseguir acompanhar o ROI – Retorno sobre investimento e quais dos canais estão sendo mais efetivos, bem como seu copywriting.

14. Faça revisões e melhorias sempre

Acompanhar as métricas só é válido se você usar as informações para melhorar o texto. Não tenha medo de fazer testes e editar conteúdo. É isso que vai garantir que todos os seus esforços valeram a pena e a copy seja um sucesso.

Agora, se não estiver dando os resultados esperados, mude rapidamente.

Você se lembra de tudo o que vimos até agora? No início deste artigo aprendemos o que é copywriting e o que o diferencia da redação publicitária. Também descobrimos o que é um copywriter e acabamos de ver algumas das principais estratégias de copywriting.

Conheça nossa playlist completa sobre Copywriting.

Word mapping: a técnica de copywriting mais poderosa

Criado por Eben Pagan, um dos maiores especialistas em marketing, o word mapping é um método que consiste em analisar as palavras ditas pela sua persona, categorizá-las e criar combinações persuasivas entre elas com o objetivo de vender mais.

1. Uso do word mapping – palavras boas e palavras ruins

O word mapping, ou estratégia de mapeamento de palavras, é uma estratégia usada para você ampliar suas palavras-chave e estudá-las, para encontrar aquelas que são mais relevantes para a construção do copy.

Quer saber mais sobre essa estratégia? Então, assista ao vídeo abaixo:

2. Como fazer um word mapping?

Antes de começar um word mapping, é preciso avaliar a persona e as palavras mais usadas por elas. Ou seja, como tudo dentro do universo do marketing.

1) Conheça a sua persona

O primeiro passo é conhecer a fundo sua persona, quais são suas reais necessidades, seus desejos, medos e formas de se comunicar.

2) Defina as palavras-chaves

Depois, use esse conhecimento para listar quais são as palavras mais utilizadas por elas. Aí entram termos técnicos em caso de personas ligadas a um meio de trabalho, gírias e expressões.

3) Priorize algumas palavras-chaves

Em seguida, começar a mapear a ordem que as palavras aparecem. Separe por importância e sentimento que geram e por último, pense como elas podem aumentar a sua influência sobre o leitor.

Categorize estas palavras e indique se elas correspondem às sensações positivas ou negativas. Para deixar o trabalho mais completo dê notas às palavras, de acordo com o índice de impacto que elas causam.

Leve sempre em consideração a intensidade da palavra e seu poder de uso.

4) Crie tabelas para organizar tudo

Por último, crie tabelas com essas palavras para que seja possível identificar quais são mais eficazes para cada momento do texto e as aplique de forma inteligente. É assim que você cria um word mapping.

3. Escolha de palavras-chave que geram impacto

Com o word mapping estruturado, chegou a hora de destacar as palavras de alto impacto. Feito isso, abuse delas nos títulos, chamadas e início de parágrafo. Sinônimos também são importantes, já que enriquecem seu texto e evitam a redundância.

Conhecendo tudo isso agora você deve estar pensando quem faz os serviços de copywriting? Sigamos firmes e vamos descobrindo os segredos da COPYWRITING. Então, veja a seguir o que não pode faltar nas técnicas de copywriting e o que não pode faltar nas técnicas de copy!

O que não pode faltar nas técnicas de Copywriting?

Veja alguns elementos que não podem faltar nas técnicas de copywriting:

1. Título matador

O título PRECISA ser irresistível para chamar a atenção e gerar curiosidade de saber mais. Se você falhar no título, os demais esforços podem falhar também. Algumas fórmulas para criar títulos são: faça listas, revele um segredo, mostre como superar obstáculos, etc.

2. Soluções para o problema do seu cliente

Clientes buscam respostas e não por mais dúvidas. Se você conhece seu público, sabe quais são suas dores e onde estão suas maiores dúvidas. Use seu copy para responder tudo isso. Mostre como o seu negócio é a solução.

Mas, continue explicando como isso será possível.

3. Boas histórias 

Boas histórias não podem faltar nas técnicas de copywriting. Escreva um texto com começo, meio e fim. Apresente-se com a solução. Traga emoções para que os leitores se identifiquem logo no início e nunca esqueça que emoções vendem.

Use-as para construir seu produto ou serviço e conquiste as pessoas com mais facilidade.

4. Foco nas necessidades do seu público

Depois que pesquisar sua persona e conhecer suas necessidades, será possível encontrar um argumento capaz de separar as pessoas para quem você quer vender e para quem você não quer vender. Lembre-se: quem tentar vender pra tudo não vende pra ninguém. Foque apenas em um público.

5. Depoimentos reais

Depoimentos agregam valor ao seu negócio, permitem que um negócio tenha autoridade perante novos clientes e garantem a credibilidade de sua marca. Contatos são mais difíceis, mas se a pessoa aprovar, incluir uma forma de contatá-las pode trazer mais veracidade ao depoimento.

6. Sensação de escassez

Dizer que as ofertas e os produtos são limitados ou estão disponíveis por tempo limitado funciona, mas se não for verdade, não faça isso. A dica é criar produtos/ serviços sazonais. Isso porque quando surge uma percepção de “raro” por parte do seu cliente, as negociações serão fechadas de maneira mais ágil.

7. Discurso simples e específico

Quanto mais complicado algo for, mais tempo exige de uma pessoa para entender aquilo. E tudo o que as pessoas não possuem é tempo, por isso mantenha as coisas simples, direta e de fácil entendimento. Por exemplo, não fale “muitas pessoas”, “milhares de pessoas” ou termos semelhantes. Prefira usar números.

8. Valor agregado

Faça uma boa apresentação do serviço e/ou produto e gere valor que vai além do preço. Seja detalhista nas informações. Abra o jogo com seu cliente. Explique claramente o que é o seu produto, o que tem de especial, quais são os problemas que ele vai resolver e o que traz de benefícios.

9. Garantia real

Produtos, serviços e soluções novas podem causar um pouco de desconforto. Por isso, ofereça garantias – e as cumpra! Podem ser entregas gratuitas, devolução facilitada e o retorno do dinheiro em caso de insatisfação, por exemplo. Mas lembre-se de criar regras bastante claras para evitar erros.

10. Foco em ganhos e não em preço

Evite começar um copywriting falando do custo, mesmo que seja baixo. O ideal é convencer, persuadir e conquistar durante todo o texto até que no final, venha a apresentação do valor e da forma como o pagamento pode ser realizado bem como as condições disponíveis para o pagamento.

11. Fechamento com chave de ouro

O fim deve ser tão poderoso quanto o começo de um copy. Deixe o carrinho de compra ou o formulário de contato bem visíveis, com acesso fácil e rápido. As técnicas de copywriting são eficazes para qualquer negócio, saber a forma correta de se comunicar realmente traz performance aos negócios.

O que não pode faltar nas técnicas de copy?

técnicas de copy

As técnicas de copy podem ser complexas e cheias de particularidades. Pensando nisso, reunimos algumas informações das principais técnicas de copy que você precisa conhecer a fundo para conseguir se destacar no meio da multidão.

1. Conheça sua persona

Você sabe para quem está vendendo? Sem conhecer seu público nenhuma das técnicas de copy irá funcionar corretamente. Por isso, conhecer a fundo a persona é o primeiro passo para escrever uma boa copy.

Afinal, a persona é quem decide se vai comprar ou não, portanto, é ela quem vai realizar uma ação.

Se essa parte for feita do jeito errado, todo o seu esforço pode ir por água abaixo. O ideal é apostar no conceito puro de construção de personas que permite ter uma visão mais próxima de como o seu público se comporta.

Ou seja, mais do que saber qual é a idade, gênero, profissão e a cidade em que mora, é preciso conhecer seu comportamento, seus desejos, medos e vontades.

AH! E não se esqueça de listar as expectativas da persona em relação ao produto ou serviço que você está ofertando. Essas informações vão ajudar na hora de evidenciar os benefícios certos.

Ainda não sabe o que é persona? Então  aprenda mais sobre buyer persona.

2. Escolha a melhor linguagem para sua persona

Você não pode usar termos como “e aí, beleza?” em um copy para executivos. Ou usar termos “corretos demais”, para atrair um público jovem e despreocupado com a vida.

Isso porque todo grupo de pessoas possui sua própria linguagem construída pelos círculos sociais que participa como: trabalho, estilo de vida e experiências vividas.

É essa linguagem que deve ser aplicada nos textos e não aquela que você ou seu copywriter usa no dia a dia ou “acham” que é o certo.

Conseguir se comunicar com “tribos” diferentes é um dos maiores desafios das técnicas de copy. Não basta escrever bem, mas saber para quem escrever bem.

Sem ter o conhecimento de quem é sua persona, você será incapaz de construir textos que chamam a atenção, convencem, convertem e geram vendas.

3. Domine o assunto que você está falando

“Não fale sobre aquilo que você não sabe ou não conhece”. Com certeza sua mãe ou alguém muito próximo já disse isso a você. Antes de ligar seu computador, ou começar a escrever em seu caderno, domine o assunto do texto.

Além de evitar um conteúdo raso, que não chama nenhuma atenção, o conteúdo será mais claro e a leitura mais fluida. Portanto, domine o assunto que você está falando e crie sempre conteúdos de qualidade e relevantes.

Então, faça com que sua persona tenha mais curiosidade sobre quem você é e passe a desejar saber mais. As técnicas de copy vão ajudar se você for um especialista no que está escrevendo, pense nisso!

4. Tenha um objetivo definido

São poucos os copywriters que sabem o que precisam alcançar antes de construir um copy. Culpa do profissional? Não. Mas daquele que pediu para que o texto fosse criado.

Muitos materiais encontrados na web deixam a desejar em relação a conteúdo, mesmo que tenham qualidade na escrita. Para alcançar grandes performances, um objetivo precisa ser definido antes de o conteúdo ser criado.

Não adianta um texto ter uma infinidade de objetivos. Isso vai apenas confundir e dispersar a atenção de quem está lendo.

O ideal é ter um único objetivo. Toda a construção do copy será feita para que o leitor finalize uma ação, seja ela a inscrição em um newsletter, a leitura de conteúdo complementar ou a compra propriamente dita.

E não todas elas juntas. É muito melhor atingir um passo de cada vez e garantir resultados mais efetivos do que tentar tudo e não alcançar nada depois de ter investido tanto tempo e recurso.

5. Crie textos exclusivos e de qualidade

É muito fácil encontrar informações na web sobre vários assuntos. Mas não caia na armadilha de repetir sempre as mesmas coisas que a concorrência. Estudo o que você encontrar, use aquilo que é bom para fazer melhor e descarte tudo o que for ruim.

Escreva algo inédito, exclusivo para seus leitores e baseado nas informações que têm. Apresente algo novo, fresco e não usado. E, lembre-se: qualidade não é quantidade. Pois um texto grande não significa que ele tenha qualidade.

Um copy de 200 palavras bem elaborado pode ser muito mais eficiente do que um de 3.000 palavras que não capta a atenção de um cliente. Se, por exemplo, você quer ensinar sua persona sobre um determinado assunto, construa um bom conteúdo.

Para alguém aprender alguma coisa, é necessário se aprofundar o suficiente para manter o interesse, deixando sempre aquele gostinho de “quero ler mais” para o próximo copy. Então, evite entregar informações pouco esclarecedoras, enganosas ou que são facilmente encontradas em outras páginas.

6. Usabilidade

Quando o assunto é conversão online nas páginas de vendas ou em sites/blogs, existe um ponto que merece atenção, além de todos os aspectos relacionados diretamente com o copywriting: a usabilidade, que está relacionada com a facilidade da pessoa encontrar as informações que deseja.

Pois isso fará com que a experiência do usuário seja positiva e ele consiga concluir todas as ações no site. Então se uma página tem boa usabilidade já é um caminho andado para a conversação. Mas o que de fato vai convencer a pessoa a tomar estas ações é o copywriting.

Como aplicar o conceito de usabilidade? Tenha um bom design, destaque informações importantes e os botões de CTAs, organize os elementos de uma página de modo que as partes sejam compreensíveis para quem lê (arquitetura da informação) e adote uma linguagem simples.

7. SEO

Você deve escrever para pessoas, mas otimizar para os buscadores. A internet é composta por conteúdo e a tecnologia tem criado robôs capazes de encontrar aquilo que o pesquisador quer saber.

Isso significa que as ferramentas de busca estão mais inteligentes, elas são capazes de encontrar as palavras-chaves no texto e ao mesmo tempo verificar se a quantidade não está passando dos limites.

Portanto, para conseguir um copy eficiente aposte na otimização de todos os textos com as técnicas de SEO, incluindo otimização de palavras-chaves. Afinal, de nada adianta escrever um copy incrível se ninguém encontrá-la, não é mesmo?!

Você sabe quais as técnicas base do SEO? Vejamos alguns exemplos de técnicas de SEO:

a. Palavras-chave e suas variações

As palavras-chave, aquelas que sua persona usa para encontrar o conteúdo que interessa, devem ser aplicadas com inteligência em seu copywriting. Lembre-se que os sinônimos e variações devem ser utilizados no conteúdo para torná-lo mais rico.

Por exemplo, você vende ração para cachorro. Durante a elaboração do seu word mapping, não esqueça de incluir termos como “alimento para cães”, “alimento para cachorros” e outras variações que podem fazer a diferença.

b. Subtítulos

Para analisar os conteúdos dos sites, os robôs fazem uma varredura nos textos.

E, os subtítulos são de extrema importância dentro de um copy porque são vistos como conteúdos guarda-chuva. Eles organizam os conteúdos e facilitam a sua leitura. Portanto, capriche na criação dos subtítulos.

c. Busque Link building

Os links building conectam conteúdos dentro de um site ou blog e isso conta, e muito, para os buscadores. Quanto mais links de qualidade integrarem os conteúdos, melhores os posicionados nos resultados orgânicos.

Conforme o próprio nome diz, ele ajuda a construir links externos que conectem o seu conteúdo, com outros endereços, melhorando o posicionamento de forma natural.

A questão é que fazer um link building não é fácil.

É preciso ter um conhecimento profundo em SEO e dedicação. Existem formas de cadastrar seu site em diretórios, com links infinitos apontando para seu conteúdo, mas eles possuem baixa eficiência nos buscadores.

A forma ideal é buscar parceiros em outros sites, que façam links para seu conteúdo. Isso pode ser feito em blogs, sites de fornecedores ou afins.

Ou, simplesmente, esperar que isso aconteça de forma natural. No entanto, isso só vai acontecer se o seu conteúdo for realmente muito bom.

Quer saber sobre o assunto? Então, confira este artigo sobre as principais técnicas de SEO.

8. Escaneabilidade

A escaneabilidade nada mais é do que a facilidade de encontrar, no texto, o que se está realmente procurando.

Pense em como acessar os conteúdos que lê na internet. Você acha a página e consegue visualizar de modo geral para garantir que tem mesmo o que procura.

Isso deve ser pensado na hora que você está construindo seu copywriting. Uma das formas mais efetivas de melhorar a escaneabilidade é incluir títulos, subtítulos, e palavras-chave destacadas dentro do conteúdo.

Viu como o copywriting é tudo o que um negócio precisa para persuadir seus clientes? Pois permite apresentar seu produto e/ou serviço da melhor maneira possível é o que pode te diferenciar de toda concorrência.

E, que tal conferir alguns exemplos de copywriting para vendas para te inspirar na sua próxima campanha? Veja a seguir!

3 exemplos de copywriting para vendas

Veja alguns exemplos de copywriting que chamam a atenção, convencem, convertem e geram vendas de grandes marcas:

Nubank

técnicas de copywriting do Nubank

Imagem : site Nubank

Com poucas palavras o Nubank consegue convencer seu público de que você é a melhor opção de seu setor.

Você no controle da sua vida financeira: A facilidade de resolver tudo pelo aplicativo, e com um atendimento 24h que realmente te ajuda. Peça sua conta e cartão de crédito do Nubank

O fim da complexidade: Para quem sabe que tecnologia e design são melhores do que agências e papelada.

Netflix

exemplos de copywriting para vendas da Netflix

Mais um exemplo de uso de copywriting que consegue gerar muitas conversões é a Netflix.

Filmes ilimitados, programas de TV e muito mais. Assista em qualquer lugar. Cancele a qualquer momento. Pronto para assistir? Digite seu e-mail para criar ou reiniciar sua assinatura.

Airbnb

técnicas de copy da Airbnb

O Airbnb, o maior site de hospedagem, é um dos exemplos de copywriting para vendas mais famosos. Pois a empresa sabe criar conexões de uma maneira incrível através de suas copys.

Experimente hospedar: ganhe dinheiro e descubra novas oportunidades ao compartilhar seu espaço.

O Airbnb abre as portas para casas e experiências interessantes.

Pronto para convencer o seu público usando estrategicamente as palavras?

Neste artigo, explicamos o que é copywriting e o que é um copywriter.

Também conferimos quais são as principais técnicas de copywriting e quais são os principais elementos que não podem faltar nelas nem numa copy. Além de revelarmos o maior segredo do copywriting: o word mapping.

Por fim, vimos alguns exemplos de copywriting para vendas de grandes marcas do mercado. Apesar de não nascermos sabendo como fazer uma boa copy, podemos aprender a escrever bem se exercitarmos essa habilidade de copywriting.

Então, coloque seu talento em prática!

Gostou do nosso conteúdo sobre Copywriting? Então acesse o nosso blog e confira todos os nossos conteúdos sobre marketing digital.

Também acompanhe as atualizações nas redes sociais e confira muitos outros conteúdos exclusivos. Estamos no InstagramYouTube!

e aí, GOSTOU? COMPARTILHE!

vamos CONVERSAR?

Você tem uma ideia que precisa tirar do papel?