curso de vendas
Modelo de Fluxo de Caixa

Trabalhe com um modelo de planilha de Fluxo de Caixa prática

Blog   ·  Criado em 16/03/2020   ·   Atualizado em 26/01/2021   · ​ 31 minutos

Modelo de Fluxo de Caixa

Você sabia que diversos empresários modernos estão investindo em marketing Digital para melhorar seu fluxo de caixa diario? Isso para impedir as estatísticas que uma em cada quatro empresas criadas não conseguem ultrapassar dois anos de funcionamento.

A sobrevivência das empresas tem se tornado um grande desafio na atualidade e pelo menos uma boa planilha de fluxo de caixa é super importante para ajudar no controle e superação dos desafios. As constantes mudanças que envolvem a economia, as diferentes demandas e a necessidade de controles internos, são essenciais na formulação de estratégias que visam à continuidade dos negócios.

Como empresários precisamos quebrar todas as barreiras para entender nosso negócio e trabalhar para que ele permaneça saudável e em condições de constante desenvolvimento, é aí que entra um modelo fluxo de caixa.

Precisamos ter acesso às informações de forma rápida e eficiente, permitindo assim seu controle financeiro. A atividade gerencial de uma organização requer acompanhamento permanente e minucioso de seus recursos, de uma maneira que se pode verificar o desempenho, avaliar e proceder os ajustes e correções necessárias para um melhor resultado final, sempre em busca da maximização da riqueza. Pelo menos uma planilha de fluxo de caixa permite que se tenha conhecimento das entradas e saídas, possibilitando acesso aos históricos e a elaboração de projeções futuras.

O fluxo de caixa pode facilitar, dentre outras coisas, a obtenção de linhas de crédito para a empresa. Entender como o fluxo de caixa pode determinar o controle financeiro de uma empresa permite que metas sejam traçadas e planos de negócios sejam elaborados.

Saber lidar com o fluxo de caixa de um negócio é um dos muitos obstáculos que todo empreendedor precisa lidar para continuar sua longa jornada para o sucesso. 

O financeiro de um negócio não envolve apenas entradas e saídas de dinheiro.

Quando você entende o financeiro significa que você domina cada elemento para controlar e organizar seu negócio no presente e futuro. Para isso, você precisa saber o que é fluxo de caixa e como aplicá-lo.

No final desse conteúdo vamos compartilhar contigo uma planilha de fluxo de caixa para organizar seu negócio.

Essa planilha de fluxo de caixa vai servir como uma base para você. Use o arquivo para criar um fluxo de caixa só seu e aprenda a identificar quais são suas necessidades.

E para melhorar seu fluxo de caixa veja como o marketing digital pode ajudar o seu negócio:

Vamos lá?

O que é fluxo de caixa?

O que é fluxo de caixa?

Fluxo de caixa também conhecido como cash flow ou financial internal control tool, é uma ferramenta de controle financeiro que te ajuda a ter uma gestão financeira saudável.

Com essa ferramenta você consegue reunir em um único espaço informações como entradas e saídas de dinheiro, controle de caixa, pagamentos e muito mais.

Para um negócio funcionar ele precisa ser organizado. Você, gestor, é responsável pelo acompanhamento e funcionamento do seu empreendimento.

Por isso fazer uma análise do seu faturamento e seus gastos vai permitir que novas metas sejam traçadas e novas previsões feitas.

Viu como o fluxo de caixa é algo tão importante para um negócio? Isso mostra como essa tarefa não deve ser negligenciada nunca.

Caso o financeiro seja tratado de maneira tão leviana, problemas financeiros vão surgir e o resultado pode ser a falência.

Deu para entender o que é fluxo de caixa? Qualquer dúvida pode perguntar nos comentários abaixo que vamos tentar responder a todos.

A importância de uma planilha de fluxo de caixa para pequenos e novos negócios

Aprenda a importância de uma planilha de fluxo de caixa para pequenos e novos negócios

O maior problema dos novos negócios, ou até mesmo dos pequenos e médios que já estão há algum tempo no mercado, é a falta de controle do fluxo de caixa diario e mensal.

Pode parecer algo surpreendente e sem sentido, mas muitos empresários administram o seu negócio sem qualquer controle financeiro, por isso existem empresas com tantas dívidas, sempre no vermelho e que nunca tem caixa para investir em sua equipe e infraestrutura. 

O financeiro é um tema levado em consideração por muitos empresários somente no final do mês. Grande erro!

Para gerar novas receitas, conquistar novos clientes e fazer com que um negócio cresça, o empreendedor precisa estar constantemente preocupado com os números. Isso significa que a preocupação com um modelo fluxo de caixa deve ser algo diario e não somente na hora de pagar contas.

O fluxo de caixa vai documentar todas as movimentações financeiras feitas por um negócio. Além de controlar o investimento, você vai saber com que, quando e onde injetar dinheiro. Aprenda como tomar decisões difíceis?

Qual o melhor modelo fluxo de caixa?

Conheça o melhor modelo fluxo de caixa

Você pode encontrar várias maneiras para controlar o fluxo de caixa de um negócio. Cada empresário precisa de um modelo específico para controlar o seu fluxo de caixa. Por isso separamos alguns modelos de fluxo de caixa para você entender como cada processo funciona, confira:

Fluxo de caixa diario

Modelo de Fluxo de caixa diario

O fluxo de caixa diario permite um controle minucioso das movimentações financeiras de uma empresa.

Esse tipo de controle permite que os gestores identifiquem, de maneira mais rápida, erros durante o processo.

Cada um desses erros pode ser revertido e evitado. O objetivo é eliminar a possibilidade de perder dinheiro.

O controle diario começa logo na abertura do caixa, isso garante que uma verificação do valor inicial de reserva (também conhecido como valor de encaixe) seja feita.

Em seguida, todas as transações devem ser registradas assim que forem realizadas para que nenhum detalhe se perca durante o dia.

Separe seus comprovantes de acordo com cada tipo de transação e quando o fechamento do caixa no final do dia for feito, some os valores de acordo com os grupos definidos.

Fluxo de caixa mensal

Fluxo de caixa mensal

O fluxo de caixa mensal permite o monitoramento mês a mês do negócio. Essa estratégia possibilita identificar as sazonalidades e facilita as comparações feitas por períodos específicos em anos diferentes.

A planilha de fluxo de caixa mensal deve estar ligada ao fluxo de caixa diario para reduzir as margens de erro. Por exemplo, se você cria uma promoção para atrair novos clientes, já é possível entender quais foram os resultados desejados logo que o fechamento do dia é feito.

Vale lembrar que, ao invés do uso de planilhas, você pode optar por um programa de fluxo de caixa, como o Simples Agenda. Com o sistema é possível acompanhar o fluxo de caixa diário, mensal e ainda fazer projeções financeiras para outros períodos. 

Tudo isso integrado com outros setores da sua empresa. Portanto, o sistema permite o acompanhamento, em tempo real, de todas as contas a pagar e receber e da saúde financeira da empresa. Para entender na prática tudo que o sistema é capaz de fazer, teste grátis por 35 dias sem compromisso. 

Fluxo de caixa projetado

Fluxo de caixa projetado

No fluxo de caixa projetado o gestor analisa todos os registros do caixa (entradas e saídas) para desenvolver uma projeção futura do negócio.

Essa é uma forma de antecipar situações de risco e evitar danos irreversíveis durante o processo de expansão, implementação de novos produtos/serviços e muito mais.

O saldo inicial e o final de cada mês devem ser cadastrados, bem como os valores recebidos ou gastos. 

Alie esses valores ao estudo de viabilidade econômica, composta por informações como:

  • qual é a receita mensal
  • o número de dias trabalhados
  • o número de funcionários 
  • os custos mensais

Todas essas informações devem ser classificadas em subcategorias.

A previsão de caixa só é possível após conseguir o histórico de todas as movimentações financeiras da empresa.

O fluxo de caixa projetado será conquistado com a criação de cenários padrões, otimistas e pessimistas, minimizando a taxa de falhas.

Com a programação de ganhos e despesas, a gestão dos negócios será mais aprimorada dos recursos e até mesmo a possibilidade de maximizar os lucros.

Fluxo de caixa operacional

Fluxo de caixa operacional

Trata-se do fluxo gerado pelas receitas e despesas de uma empresa em determinado período. Ele demonstra os resultados obtidos no negócio e a variação no capital de giro.

O fluxo de caixa operacional pode ser calculado com uma equação relativamente simples:

lucro operacional = Lajir + desvalorização − impostos Lajir.

Lajir é a sigla para o valor correspondente ao lucro antes de juros e impostos de renda.

O fluxo de caixa operacional é uma das principais ferramentas para calcular os lucros de uma organização, pois se refere aos resultados obtidos por um negócio em decorrência da variação no capital de giro.

Fluxo de caixa livre

Fluxo de caixa livre

O fluxo de caixa livre, também conhecido como fluxo de caixa final, mensura a capacidade de gerar capital em curto, médio e longo prazo ao apresentar o saldo atual do caixa em relação ao fluxo de caixa operacional.

Isso significa que ele indica o saldo existente após descontar o pagamento da dívida ou o recebimento de mais empréstimos.

Um bom gestor trabalha com dois tipos de relatórios:

Ao verificar como o negócio se comporta é possível entender se ele atende às expectativas ou não.

Se a empresa tem um balanço positivo, ou seja, tem um superávit, é possível aplicar o capital ocioso.

Se a empresa tem um balanço negativo, ou seja, tem um déficit, é preciso procurar alternativas para tirar o negócio do vermelho.

Fluxo de caixa indireto

Fluxo de caixa indireto

Esse método se baseia nos lucros e prejuízos do exercício (também conhecido como DRE), sendo ajustado por valores como a amortização, depreciação e variações em contas patrimoniais.

Baseia-se no DRE, e não na análise dos fluxos de caixa da empresa.

Apesar da facilidade de cálculo, está sujeito a grandes distorções.

Fluxo de caixa descontado

Fluxo de caixa descontado

Também conhecido pela sigla FDC, é um cálculo que determina o valor de uma empresa e, portanto, costuma ser utilizado no processo de compra e venda de uma companhia ou em caso de fusões, para avaliar o retorno do capital investido ou na captação de investidores.

O FDC é calculado a partir da projeção do fluxo de caixa para determinado período futuro, descontando-se uma taxa referente a possíveis riscos do investimento e o valor residual dos ativos (valor estimado ao final da sua vida útil) e o cálculo do valor da empresa.

O fluxo de caixa descontado torna possível a antecipação do fluxo de caixa de uma empresa no futuro.

A taxa de desconto é formada por todos os custos do capital e os riscos que o empreendimento possui.

Dessa forma, existem quatro elementos que devem ser calculados nessa metodologia:

Estimativa de fluxo de caixa

Corresponde ao montante do valor recebido e gasto por uma empresa durante um determinado período;

Cálculo de valor residual

O valor residual de um bem é o valor estimado do ativo ao final da vida útil dele. Assim, você verifica qual é o período em que esse ativo pode ser usado pela empresa;

Determinação da taxa de desconto

Obtemos esse valor com o cálculo do custo médio ponderado de capital e os riscos de investimento;

Cálculo do valor da empresa

Trata-se de uma projeção do que sua empresa pode produzir no futuro, considerando os descontos do tempo gasto para isso e os riscos assumidos.

Assim, sob a metodologia do fluxo de caixa descontado, você mede o valor que a sua empresa terá com a quantidade de recursos gerados no futuro, somado ao valor que ela possui atualmente, subtraindo o tempo e os riscos.

Fluxo de caixa para investimentos

Quando um negócio vai bem e todos os pagamentos estão em dia, muitos administradores pensam em aumentar as atividades, contratar novos funcionários, realizar treinamentos e expandir as fronteiras da empresa. Nessas horas, é essencial que haja dinheiro sobrando, e ele deve ser direcionado para as questões referentes aos planos traçados.

Esse modelo de fluxo de caixa precisa acompanhar todas as movimentações financeiras realizadas para gerar resultados positivos e acumular riquezas. É válido lembrar que dinheiro parado não traz benefício algum para o negócio, por isso, esse documento precisa ser constantemente atualizado em relação às atitudes tomadas.

Além do mais, as taxas de risco variam de acordo com o retorno do investimento realizado. Investimentos de alto risco podem trazer melhores retornos financeiros, porém, quem o utiliza se sujeita a mais instabilidades.

4 dicas para ter um bom modelo fluxo de caixa positivo

Modelo fluxo de caixa positivo

Conseguir controlar o fluxo de caixa de um negócio é uma tarefa que exige dedicação, atenção e paciência

Vamos te apresentar três grandes dicas para você ter sucesso no mundo dos negócios e manter um fluxo de caixa positivo para investir em novos projetos, aumentar o número de clientes e expandir o seu caixa.

Dica um: Criar um plano de contas

O Demonstrativo do Fluxo de Caixa (DFC), e até mesmo o Demonstrativo de Resultado do Exercícios (DRE), consegue apresentar qual é a real situação financeira de um negócio.

Mas para que o controle passe a dar resultados, você precisa de um plano de contas, ou seja, um conjunto de contas que representam as movimentações financeiras durante as atividades de uma empresa.

O plano de contas basicamente vai te ajudar:

  • reunir informações que vão influenciar na administração do negócio;
  • a adequar seus dados segundo as exigências de agentes externo, como é o caso do Imposto de Renda.

Ao invés de analisar um batalhão de informações, com um plano de contas você consegue analisar os dados certos para que possa a tomar decisões com inteligência. 

Dica dois: Pensar em curto e longo prazo

Com o fluxo de caixa você consegue fazer projeções para o seu negócio em curto, médio e até mesmo longo prazo. 

Você pode avaliar muitos tipos de cenários e se preparar para eles, até mesmo quando o período não é positivo para o mercado.

Essas projeções vão te ajudar a manter o caixa positivo, mesmo que tenha que apertar um pouco o cinto. 

Dica três: Invista em marketing Digital

Para um fluxo de caixa positivo, você precisa aumentar o seu fluxo de clientes. Como fazer isso, principalmente sendo um pequeno ou novo negócio?

A nossa resposta é o investimento em marketing digital!

As estratégias digitais permitem que o dinheiro entre e influencie nas projeções futuras. 

O investimento nas estratégias de marketing digital para o seu negócio pode ser baixo no início, mas conforme novas vendas forem feitas e o dinheiro entrando, novas projeções serão cada vez mais positivas no futuro.

A crise atual mudou a forma de atuação de vários negócios, indo desde psicólogos conversando por vídeo com pacientes em salas de conferência virtuais, profissionais de saúde que estão usando a telemedicina como forma de superar as barreiras do atendimento físico, até os professores, ministrando aulas por videoconferência. Nesse contexto, o que as Pequenas e Medias Empresas podem fazer ? Investir em Marketing Digital com o objetivo de melhorar as Vendas”.

Além de evitar sair, as pessoas estão mais conectadas do que antes e o digital é um importante recurso em meio a todas as restrições físicas.

Confira as nossas dicas para criar uma máquina de vendas usando estratégias do marketing digital:

Dica quatro: Saber o ritmo de crescimento

Independente de qual for o segmento do seu negócio, você precisa estar atento ao seu ritmo de crescimento.

Cada negócio, modelo de negócio, tipo de produto ou serviço tem o seu próprio ritmo. Isso normalmente é calculado através das questões financeiras onde um bom fluxo de caixa pode resolver.

O que analisar em um planilha de fluxo de caixa?

Você deve ficar atento a algumas métricas para que a sua organização financeira seja bem-sucedida. 

Entradas 

As entradas podem são classificadas em três grupos: entradas operacionais, de empréstimos ou de vendas de bens.

Cada entrada deve ser devidamente cadastrada em seus grupos e não misturados para evitar confusões.

Entradas operacionais

As entradas operacionais são todos os valores que entram no caixa de um negócio, seja por meio de produtos e/ou serviços. Esses valores podem entrar por meio de:

  • Boletos
  • Cartão (débito ou crédito)
  • Dinheiro
  • Cheque
  • Desconto de duplicatas
  • Adiantamento de Cartão
  • Adiantamento de Boleto
  • Troca de cheques

Entradas de empréstimo

Entradas relacionadas a empréstimos bancários ou vindo de terceiros.

Venda de bens

Esse tipo de entrada está relacionado às vendas de bens da empresa.

Saídas

Assim como as entradas, as saídas (também chamados apenas de gastos) devem ser divididas em: saídas, compra de bens e investimento, pagamento de financiamentos e empréstimos.

Não esqueça de sinalizar cada uma das saídas para as suas análises serem mais completas.

Saídas

Essas são aquelas saídas comuns de qualquer negócio. Entre as principais estão:

  • Compra de matéria-prima
  • Salários
  • Encargos
  • Água, luz e telefone (internet)

Compra de bens e investimentos

Essa é uma compra de itens que são fundamentais para o funcionamento de um negócio. As mais comuns são:

  • Veículos
  • Equipamentos eletrônicos
  • Móveis 

Pagamento de financiamento e empréstimo

Lembra que nas entradas existe o item de entradas de empréstimo? Aqui são os pagamentos dos financiamentos ou empréstimos retirados para que um negócio continue operando. 

Não esqueça de incluir neste item os juros envolvidos.

Equilíbrio entre receitas e despesas

Acompanhe qual é o fluxo de receita e de despesas mês a mês, identificando se houve lucro ou prejuízo.

Esses dados são essenciais para verificar a sustentabilidade do seu negócio.

Quanto mais dinheiro em caixa, maior a possibilidade de realizar financiamentos e negociar com fornecedores.

Aos poucos, essa observação conduzirá à identificação de padrões, como picos de receitas, vendas conduzidas por sazonalidades e meses em que as vendas costumam não performar tão bem assim.

Esse é o 1º passo para entender quais fatores mercadológicos exercem impacto direto em seu negócio.

Quanto maior o histórico, mais precisas serão suas análises. S

e o início do mês está marcado por grandes despesas, como o pagamento de funcionários, você pode procurar estratégias para programar os pagamentos para outros períodos do mês.

Quando a folha de pagamento e os fornecedores são pagos em um mesmo dia, o volume de trabalho administrativo cresce significativamente.

Lucratividade do negócio

Lucro segundo o portal bomnegócioaqui, é um indicador de eficiência operacional expresso em forma de valor percentual.

Ela indica qual é o ganho que a empresa gera sobre o trabalho que desenvolve.

Dessa forma, se sua empresa tem uma lucratividade de 15%, a cada R$ 100,00 que ela vende, sobram R$ 15,00 após o pagamento de todos os impostos e despesas.

Assim, ela agrega R$ 15,00 sobre a produção e comercialização dos produtos e serviços.

Como calcular a lucratividade do negócio

Para calcular a lucratividade, basta usar a seguinte fórmula: lucratividade = (lucro líquido ÷ receita total) × 100 é preciso que você tenha um olhar atento sobre o lucro gerado pela sua empresa.

Alguns especialistas indicam que a lucratividade das empresas esteja sempre maior que 10%.

É claro que essa taxa varia de negócio para negócio, e existem empresas com margens menores que conseguem manter a sustentabilidade do negócio, gerando fluxo de caixa positivo.

Embora ambos sejam indicadores importantes para acompanhar a sustentabilidade de um negócio, a rentabilidade e a lucratividade possuem diferenças entre si, sendo confundidos com frequência.

A lucratividade indica se o negócio justifica as operações, mostrando se as vendas são suficientes para pagar os custos e as despesas (e gerando, é claro, lucros).

Planilha de fluxo de caixa

Para facilitar a sua rotina, preparamos uma planilha de fluxo de caixa para você começar hoje mesmo a controlar o caixa da sua empresa. 

Baixe agora mesmo a sua planilha de fluxo de caixa!

Conclusão

Invista, sem medo, em maneiras diferentes para manter o total controle do financeiro do seu negócio.

Você vai ver que ao investir nessas estratégias vai reduzir os erros, um caixa vermelho e dívidas todos os meses.

Controlar o financeiro não é ser chato, mas é saber como fazer dinheiro, como investir em seu negócio e como fazê-lo prosperar. 

Aproveite todas as oportunidades e aproveite todas as ferramentas para ser bem-sucedido.

Gostou de nossas dicas sobre fluxo de caixa? Então acesse o nosso blog para encontrar mais conteúdos para negócios bem-sucedidos.

Aproveite para saber mais sobre marketing digital diretamente com profissionais e crie a melhor estratégia para o seu negócio já, estamos no Instagram e no YouTube.

e aí, GOSTOU? COMPARTILHE!

vamos CONVERSAR?

Você tem uma ideia que precisa tirar do papel?