modelo de DRE

Modelo de DRE

para as pequenas e médias empresas

Blog   ·   09/03/2020   ·   ​19 minutos

modelo de DRE

Quem tem ou sonha em ter seu próprio negócio precisa estar atento às obrigações contábeis e a saúde financeira da empresa. O modelo de DRE que é uma das principais ferramentas para isso, e é conhecida também como a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), é um relatório que apresenta os resultados obtidos em um determinado período e especifica se houve lucro ou prejuízo.

O modelo de DRE é uma forma diferente de unificar informações relevantes para uma gestão de negócio mais certeira. Você pode reunir dados como receitas, despesas, geração de caixa, pagamento e muito mais. 

Além de de ser um compromisso fiscal, a DRE é o espelho do seu negócio. Isso significa que você pode começar a tomar decisões para o futuro confiando nos relatórios que forem gerados. 

Você vai conferir neste conteúdo informações como:

  • conceituar a Demonstração do Resultado do Exercício;
  • explicar para que serve;
  • definir sua importância;
  • apresentar a estrutura e o modelo de DRE.

Tenha condições de entender a importância da demonstração de resultados e saiba como aplicá-la em seu negócio. É o que você quer? Então acompanhe o artigo e entenda sobre o modelo de DRE que preparamos!

O que é um Modelo de DRE e qual a sua importância para o pequeno empresário?

A instituição dessa obrigação contábil foi feita pela Lei 6.404 de 1976 com o objetivo de que as empresas apresentassem um resumo das operações realizadas em um ano e cujo resultado indicasse se houve lucro ou prejuízo.

Por causa das suas características, esse relatório passou a ser um guia para gestores empresariais que querem organizar seu negócio e querem implementar novas estratégias e processos que permitam ao negócio crescer e prosperar.

O Modelo de DRE, atualmente, é usado pelo governo como uma prestação de contas empresariais e, para os investidores, uma apresentação real da empresa.

Seu principal objetivo é apresentar ao gestor o resultado da empresa com números reais de despesas, receitas e custos. Os dados são coletados pelo regime de competência, que prevê a contabilização do fato gerador no momento em que ele ocorre. Existem softwares que podem facilitar a análise dos dados, mas pequenos e médios negócios usam uma planilha de DRE.

Assim, uma venda a prazo é calculada assim que é vendida, não quando o dinheiro é efetivamente recebido, por exemplo.

No final, o documento considera os resultados operacionais e não operacionais da empresa.

A análise desse demonstrativo possibilita obter diversas interpretações a respeito de indicadores relevantes, como:

  • lucratividade;
  • EBITDA (Earnings before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization) ou seja, lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização;
  • ponto de equilíbrio;
  • margem de contribuição.

Devido às obrigações legais, a Demonstração do Resultado do Exercício corresponde ao ciclo anual, que vai de janeiro a dezembro.

No entanto, como instrumento de gestão, é possível utilizar uma versão simplificada mensal, com objetivos administrativos, ou trimestral, com a finalidade de controlar os gastos fiscais.

Nesse momento, você precisa saber que a demonstração de resultados inclui todas as contas do Balanço Patrimonial (BP).

Esse relatório foca o valor dos ativos e passivos que o negócio possuía em determinada data.

Já o documento de que estamos tratando neste post indica o que acontece com a empresa no período, ou seja, onde perdeu, ganhou e gastou.

Agora se você já tem um negócio em andamento veja como melhorar a performance dele:

como aumentar o faturamento da minha empresa

Para que serve um modelo de DRE?

Basicamente, o modelo de DRE tem o propósito de cumprir as determinações legais de um negócio. Vamos explicar melhor essa definição.

Podemos comparar uma DRE ao check-up que fazemos anualmente para manter a saúde em dia.

A Demonstração do Resultado do Exercício vai apresentar um resumo eficiente de como está a saúde financeira de um negócio.

Por isso, serve para diferentes objetivos, especialmente como base de análise para:

  • investidores que desejam adquirir ou aplicar uma quantia significativa de recursos;
  • bancos que costumam financiar ou emprestar valores altos para a expansão do negócio;
  • governo e órgãos fiscalizadores;
  • gestores que precisam analisar e apresentar o relatório à direção.

Essa também é uma forma do empreendedor se preparar para qualquer obstáculo ou adversidade que surja pelo caminho.

Afinal, a DRE comprova a eficiência organizacional e seus dados servem como base para as tomadas de decisões.

Outra situação permitida pela DRE é uma avaliação clara de como a empresa está em seu segmento de atuação.

É por isso que você não deve repassar esse controle ao contador e deixar de lado a sua avaliação como empreendedor.

Sua tarefa será a de nutrir e analisar o modelo de DRE para que sua gestão melhore e sejam identificados pontos em que são necessários ajustes.

A partir dessa atividade e da interpretação dos números você vai conseguir prever os recursos, ter uma visão realista sobre as decisões que devem ser tomadas e vai saber se existe viabilidade econômica para alguns investimentos.

Junto a isso, existe uma funcionalidade fiscal, já que para criar esse documento você precisa incluir os impostos para ter mais precisão de acertos.

Ao saber o valor exato que foi pago, fica mais fácil rever o seu enquadramento tributário para conquistar mais benefícios nesse âmbito.

Qual a importância da DRE para os pequenos negócios?

A elaboração desse documento apresenta 5 principais vantagens:

  • direciona a tomada de decisão baseando-se no cenário financeiro da empresa;
  • permite corrigir as falhas e realocar a gestão e as estratégias para o alcance de melhores resultados;
  • simplifica o trabalho do governo, de bancos e potenciais investidores, que conseguem analisar a situação financeira da empresa nos 12 meses mais recentes;
  • chama a atenção de possíveis investidores por conta da apresentação dos resultados alcançados;
  • facilita a avaliação da eficácia da gestão, inclusive com a relação de lucros e prejuízos.

Na prática, você consegue ter uma visão financeira clara da saúde da empresa e ainda pode extrair informações relevantes para a gestão, como:

  • o montante dos custos relativos a produtos e serviços;
  • o montante das despesas gerais da empresa;
  • a receita total de vendas;
  • o lucro obtido durante o exercício fiscal;
  • os impostos incidentes sobre os produtos comercializados;
  • o nível de endividamento em que o negócio se encontra;
  • as estratégias que serão adotadas para sair do vermelho, caso necessário.

Sendo assim, as informações reunidas na DRE podem ter finalidades fiscais e legais, visando também a gestão estratégica do negócio. Além disso, elas permitem que seja feita uma avaliação critica a eficiência das ações executadas pela gestão e, determinar, por meio do planejamento estratégico, quais mudanças devem ser aplicadas para melhorar a sua performance. Com isso, é possível otimizar os gastos e os processos.

Por último, mas não menos importante, a DRE amplia a visão do gestor para criar novos cenários, com o objetivo de assegurar economia financeira e fiscal no futuro.

Assim como ficar de olho na DRE, você precisa ter ferramentas para aumentar a performance da sua empresa, veja quantas possibilidades existem no mundo digital:

Como usar a planilha de DRE para melhorar os negócios

Esse relatório deve detalhar receitas, rendimentos, despesas, custos, encargos e perdas.

Feita a coleta desses dados, é preciso inseri-los em uma tabela, porque a demonstração de resultados prevê uma sequência ordenada de cálculos.

Os dados são obtidos a partir de uma planilha de fluxo de caixa diário, que abrange entradas e saídas.

Na primeira parte, são inseridas a previsão de recebimento com as vendas, contas a receber menos as comercializações feitas e outros valores embolsados.

Esses itens indicarão o total de entradas do seu negócio.

Em seguida, especificam-se as saídas.

Nesse caso, são todas as contas pagas, folha de pagamento, pró-labore, provisionamentos, despesas e manutenções.

No término, o fluxo de caixa apresentará o saldo anterior e o acumulado e o valor de empréstimos, se existir.

O resultado é o saldo final.

A partir desses dados, consegue-se completar a Demonstração do Resultado do Exercício.

A estrutura desse documento segue o modelo abaixo: Receita bruta (-) deduções = receita líquida (-) custo das mercadorias vendidas e serviços prestados = lucro bruto (-) despesas com vendas (-) despesas administrativas (-) despesas financeiras = resultado operacional líquido  (+) receitas não operacionais (-) despesas não operacionais = resultado antes de Imposto de Renda e contribuição social (-) provisões de Imposto de Renda e contribuição social = resultado líquido. Fica evidente que a demonstração de resultados apresenta os valores da receita bruta de vendas e serviços, as deduções, os impostos sobre as vendas e outros abatimentos.

Nesse cálculo temos a receita líquida.

Dela, devem ser diminuídos os custos dos produtos comercializados e serviços prestados para se chegar ao resultado operacional bruto.

Dessa quantia são subtraídas as despesas não operacionais e somadas as receitas não operacionais, o que leva ao resultado operacional líquido, antes de os impostos incidirem.

Com a subtração dos tributos se atinge o resultado líquido antes da participação nos lucros, cujo cálculo é feito sobre o resultado líquido menos o prejuízo dos exercícios anteriores.

Perceba que esse modelo de DRE pode mudar um pouco conforme a empresa e suas características, como porte, atividade etc.

Desse modo, podem ser acrescentadas ou excluídas linhas dessa estrutura.

Além disso, deve-se considerar alguns pontos para evitar erros durante o processo:

  • separe gastos pessoais daqueles que são da empresa;
  • solicite ajuda de profissionais que dominam a gestão e não sinta vergonha sobre isso.

Quer um modelo de DRE?

Então baixe gratuitamente o modelo de DRE feito pelas Franquias de Sucesso High Sales.

Como fazer uma análise da DRE?

A simples elaboração desse documento contábil não traz benefícios para a organização.

É necessário saber interpretar os dados para chegar aos indicadores, identificar oportunidades e detectar necessidades de ajustes.

Existem duas formas de fazer a análise da demonstração de resultados:

Análise Horizontal da DRE

Esse viés está embasado na comparação dos resultados de um mesmo indicador em referência a períodos anteriores.

Isso significa que os valores confrontados são avulsos.

O resultado assinala a evolução da empresa.

Por exemplo: se for analisar o faturamento de modo horizontal, monte uma tabela com os valores de cada período.

O primeiro número é a base e aponta à possível evolução do negócio ao longo dos anos.

Por exemplo: em um ano, a empresa faturou R$ 50 mil e, no período seguinte, chegou a R$ 60 mil.

Por esses dados, percebe-se que houve um crescimento de 20% nesse quesito.

É importante destacar que a análise horizontal pode ser utilizada para uma avaliação do fluxo de caixa.

Nesse caso, você percebe a evolução das contas a pagar e a receber em um período diário, semanal ou mensal.

Dessa maneira, é possível antecipar tendências e aprimorar o planejamento.

Análise vertical

Esse nome é proveniente do fato de que os resultados possuem um efeito em cascata, ou seja, de cima para baixo ou vice-versa.

A avaliação também pode ser usada para identificar o percentual de participação de um indicador específico nos resultados da empresa.

A análise vertical é o padrão da Demonstração do Resultados do Exercício, em que um resultado tem valores subtraídos para chegar a outro.

Por isso, essa avaliação é indicada para a comparação por linha.

Dessa forma, ela deve ser usada de maneira complementar à avaliação horizontal.

Quando o resultado for positivo, significa que você teve lucro.

Quando for negativo, prejuízo.

Análise vertical ou horizontal: qual a mais importante?

Em um bom modelo de DRE é importante se fazer as duas análises, porque elas permitem que o gestor identifique se houve aumento ou redução das vendas e verifique com custo e despesa.

Outra possibilidade é analisar o impacto que cada conta de despesa ou custo teve em relação ao resultado do que foi comercializado.

Assim, o demonstrativo de resultados é uma ferramenta importante de gestão, que deve ser obrigatoriamente realizada uma vez por ano.

Porém, torna-se importante elaborá-la resumidamente mais algumas vezes no ano para fazer uma análise precisa dos dados.

Essa é uma boa maneira de você, como gestor, verificar se o que foi planejado está sendo alcançado e avaliar o nível de vendas.

Dessa forma, consegue realizar ajustes, melhorar os resultados e até evitar prejuízos maiores ao negócio.

 

Conseguiu entender a importância de manter uma DRE sempre em dia? Tenha acesso a mais dicas relevantes para o seu negócio assinando a nossa newsletter! Para empreender é preciso buscar informações, e aprender o tempo todo.

Acompanhe a High Sales nas redes sociais e fique por dentro de todos os lançamentos e novidades. Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Instagram ou no YouTube!

A missão das Franquias de Sucesso High Sales é difundir o empreendedorismo ajudando pessoas e negócios a performarem as vendas com marketing digital.

Faça bons negócios!!

Transforme suas ideias em performance digital!

e aí, GOSTOU? COMPARTILHE!

vamos CONVERSAR?

Você tem uma ideia que precisa tirar do papel?