curso de vendas
modelo de DRE

Modelo de DRE: qual melhor exemplo de DRE para minha empresa?

Blog   ·  Criado em 09/03/2020   ·   Atualizado em 28/01/2021   · ​ 38 minutos

modelo de DRE

Quem tem ou sonha em ter seu próprio negócio precisa estar atento às obrigações contábeis e à saúde financeira da empresa. Para isso, o empreendedor ou gestor precisa se equipar com todas as ferramentas possíveis. Uma delas é o modelo de DRE.

Também conhecido como Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) ou Income Statement, essa ferramenta ajuda a compreender se os resultados obtidos em um determinado período de tempo geraram lucro ou prejuízo. 

Portanto, a DRE permite controlar, avaliar e analisar a situação da empresa de forma mais efetiva. Quer saber mais sobre o assunto? Então, confira este artigo. Aqui você vai conferir, vamos lá!

 

O que é um Modelo de DRE?

A DRE é uma sigla para abreviar Demonstração de Resultado de Exercício. Ele é um relatório utilizado pela contabilidade para apresentar os resultados financeiros em um determinado período de tempo.

Resumidamente, o modelo de DRE é uma forma diferente de unificar informações relevantes para uma gestão de negócio mais certeira. Nele, você pode reunir dados como receitas, despesas, geração de caixa, pagamento e muito mais. Além de ser um compromisso fiscal.

Ou seja, a DRE é o espelho do seu negócio. Isso significa que você pode começar a tomar decisões para o futuro confiando nos relatórios que forem gerados por meio dele. 

A instituição dessa obrigação contábil foi feita pela Lei 6.404 de 1976 com o objetivo de que as empresas apresentassem um resumo das operações realizadas em um ano e cujo resultado indicasse se houve lucro ou prejuízo.

Qual é a importância do Modelo DRE?

Modelo DRE

Por causa das suas características, o relatório DRE passou a ser um guia para gestores empresariais que querem organizar seu negócio e implementar novas estratégias e processos que permitam ao negócio crescer e prosperar. Tornando, assim, um grande aliado do empreendedor.

O Modelo de DRE, atualmente, é usado pelo governo como uma prestação de contas empresariais e, para os investidores, uma apresentação real da empresa. Seu principal objetivo é apresentar ao gestor o resultado da empresa com números reais de despesas, receitas e custos.

Os dados são coletados pelo regime de competência, que prevê a contabilização do fato gerador no momento em que ele ocorre. Isso significa que o registro do lançamento contábil é feito na data em que o evento acontece.

Não importa quando ele vai ser pago ou recebido. Por exemplo, uma venda a prazo é lançada no modelo DRE assim que acontece, não quando o dinheiro é efetivamente recebido. Dessa forma, é possível identificar e analisar as transações passadas e futuras.

Diferenças entre a Demonstração de Resultados do Exercício (DRE) e a Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC)

A Demonstração de Resultados do Exercício (DRE) e a Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC) são dois dos mais importantes relatórios para gestão econômico-financeira de uma empresa, pois permitem a análise da saúde econômico-financeira da companhia por duas perspectivas diferentes e complementares: o regime de caixa e o regime de competência.

Demonstrativo de Fluxo de Caixa - Regime de Caixa

De forma resumida, no regime de caixa, consideramos o registro dos documentos na data que foram pagos ou recebidos, como se fosse uma conta bancária. Este evento pode ser uma entrada (venda) ou uma saída (despesas e custos).

Imagine que sua empresa tinha a receber R$10.000,00 de um cliente durante 04 meses, mas ele atrasou os pagamentos e deixou para pagar tudo no último mês. Neste caso, seu fluxo de caixa estaria da seguinte maneira, veja um exemplo fluxo de caixa:

Mês 01

Mês 02

Mês 03

Mês 04

R$ 0,00

 R$ 0,00

 R$ 0,00

 R$ 40.000,00

Ponto Positivo

O fluxo de caixa, como o próprio nome já diz, demonstra exatamente o dinheiro que a empresa realmente possui em caixa. Isso é importante para gerenciar a liquidez do negócio (capacidade de pagar seus compromissos), pois muitas vezes, a empresa pode estar com uma boa rentabilidade, ou seja, dando lucro, mas no curto prazo não possui dinheiro em caixa (capital de giro) para pagar as contas.

Ponto Negativo

O problema da visão de caixa é que você não consegue medir o resultado operacional da empresa. Se uma pessoa de fora da organização analisasse o fluxo de caixa do nosso exemplo, provavelmente acharia que a empresa teve resultado negativo por três meses e depois um resultado incrível no quarto mês. Também pode acontecer o contrário, onde um cliente pode ter pagado o total à vista, e os gestores acharem que estão com muito caixa, sem visualizarem que precisam desse dinheiro para manter as operações por mais tempo.

Demonstração de Resultados do Exercício - Regime de Competência

Já no regime de competência, o registro do documento se dá na data que o evento aconteceu. A contabilidade define o regime de competência como sendo o registro do documento na data do fato gerador (ou seja, na data do documento, não importando quando vou pagar ou receber).

Vamos utilizar o mesmo exemplo, onde o cliente deveria lhe pagar R$10.000,00 por mês, mas pagou tudo só no último mês. Neste caso, seu demonstrativo de resultado de exercício ficaria conforme o exemplo abaixo:

Mês 01

Mês 02

Mês 03

Mês 04

R$ 10.000

 R$ 10.000

 R$ 10.000

 R$ 10.000

Ponto Positivo

Com o regime de competência (DRE), você consegue visualizar se a estrutura financeira da sua empresa está correta e se o modelo de negócio faz sentido. Ou seja, o DRE permite avaliar se vale a pena continuar produzindo e comercializando os produtos ou serviços de sua companhia e se eles geram lucro suficiente para pagar os custos e despesas, sem levar em consideração quando as receitas serão recebidas nem quando os custos e despesas serão pagos.

Ponto Negativo

Como o demonstrativo de resultado de exercício não leva em consideração o que de fato está acontecendo ao caixa da empresa, é possível que a companhia acabe ficando com pouco dinheiro em caixa, o que levaria a contrair dívidas desnecessárias, como em nosso exemplo, onde o DRE estaria demonstrando uma receita mensal, mas que de fato não está entrando no caixa.

Se você está se perguntando agora: Então qual devo usar? Ambas as visões são necessárias e complementares na gestão econômico-financeira de um negócio, e os dados devem sempre ser analisados pelas duas perspectivas para se obter a melhor decisão possível para a situação da empresa.

Para que serve um modelo DRE?

Basicamente, o modelo DRE tem o propósito de cumprir as determinações legais de um negócio. Vamos explicar melhor essa definição. Podemos comparar uma DRE ao check-up que fazemos anualmente para manter a saúde em dia.

A Demonstração do Resultado do Exercício vai apresentar um resumo eficiente de como está a saúde financeira de um negócio. Por isso, serve para diferentes objetivos, especialmente como base de análise para:

  • investidores que desejam adquirir ou aplicar uma quantia significativa de recursos;
  • bancos que costumam financiar ou emprestar valores altos para a expansão do negócio;
  • governo e órgãos fiscalizadores;
  • gestores que precisam analisar e apresentar o relatório à direção.

A análise desse demonstrativo possibilita obter diversas interpretações a respeito de indicadores relevantes, como:

  • lucratividade;
  • EBITDA (Earnings before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization) ou seja, lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização;
  • ponto de equilíbrio;
  • margem de contribuição.

Quais são as vantagens de montar uma planilha DRE?

planilha de DRE

Confira as vantagens de montar uma planilha DRE para o seu negócio:

Se preparar para qualquer obstáculo

O modelo DRE é uma forma do empreendedor se preparar para qualquer obstáculo ou adversidade que possa surgir pelo caminho. Afinal, a DRE comprova a eficiência organizacional e seus dados servem como base para as tomadas de decisões.

Avaliar com clareza a saúde financeira

Outra situação permitida pela DRE é uma avaliação clara de como a empresa está em seu segmento de atuação. É por isso que você não deve repassar esse controle ao contador e deixar de lado a sua avaliação como empreendedor.

Sua tarefa será a de nutrir e analisar o modelo de DRE para que sua gestão melhore e sejam identificados pontos em que são necessários ajustes. A partir dessa atividade e da interpretação dos números você vai conseguir prever os recursos.

Tomar decisões mais assertivas

Também ter uma visão realista sobre as decisões que devem ser tomadas e saber se existe viabilidade econômica para alguns investimentos. Junto a isso, existe uma funcionalidade fiscal, já que para criar esse documento você precisa incluir os impostos para ter mais precisão de acertos.

Ao saber o valor exato que foi pago, fica mais fácil rever o seu enquadramento tributário para conquistar mais benefícios nesse âmbito.

O relatório de DRE é obrigatório para todas as empresas?

A DRE é elaborada junto com o balanço patrimonial e deve ser assinada por um contador habilitado pelo Conselho Regional de Contabilidade. Pela lei, o relatório é obrigatório para todas as empresas, exceto para o MEI.

Devido às obrigações legais, a Demonstração do Resultado do Exercício corresponde ao ciclo anual, que vai de janeiro a dezembro. No entanto, a importância desse relatório vai além do cumprimento das exigências contábeis e fiscais.

Qualquer empresa ou empreendimento pode — e deve —  utilizar a DRE para tomar decisões sobre o seu negócio. Como instrumento de gestão, é possível utilizar uma versão simplificada mensal, com objetivos administrativos, ou trimestral, com a finalidade de controlar os gastos fiscais.

Qual a importância da planilha DRE para as pequenas e médias empresas?

Mesmo não tendo a obrigatoriedade de apresentar uma DRE para fins contábeis e fiscais, os pequenos negócios podem se beneficiar com esse relatório. Então veja, a seguir, porque o DRE é importante para os pequenos negócios.

A elaboração desse documento apresenta 5 principais vantagens para as pequenas e médias empresas:

  • direciona a tomada de decisão baseando-se no cenário financeiro da empresa;
  • permite corrigir as falhas e realocar a gestão e as estratégias para o alcance de melhores resultados;
  • simplifica o trabalho do governo, de bancos e potenciais investidores, que conseguem analisar a situação financeira da empresa nos 12 meses mais recentes;
  • chama a atenção de possíveis investidores por conta da apresentação dos resultados alcançados;
  • facilita a avaliação da eficácia da gestão, inclusive com a relação de lucros e prejuízos.

Quais são os benefícios do Modelo de DRE para as pequenas e médias empresas?

Na prática, você consegue ter uma visão financeira clara da saúde da empresa e ainda pode extrair informações relevantes para a gestão, como:

  • o montante dos custos relativos a produtos e serviços;
  • o montante das despesas gerais da empresa;
  • a receita total de vendas;
  • o lucro obtido durante o exercício fiscal;
  • os impostos incidentes sobre os produtos comercializados;
  • o nível de endividamento em que o negócio se encontra;
  • as estratégias que serão adotadas para sair do vermelho, caso necessário.

Sendo assim, as informações reunidas na DRE podem ter finalidades fiscais e legais, visando também a gestão estratégica do negócio. Além disso, elas permitem que seja feita uma avaliação crítica da eficiência das ações executadas pela gestão.

Bem como determinar, por meio do planejamento estratégico, quais mudanças devem ser aplicadas para melhorar a sua performance. Com isso, é possível otimizar os gastos e os processos.

Por último, mas não menos importante, a DRE amplia a visão do gestor para criar novos cenários, com o objetivo de assegurar economia financeira e fiscal no futuro.

Assim, como montar a DRE do seu negócio, é importante para aumentar a performance da sua empresa, o marketing digital também várias ferramentas para ajudar o seu negócio crescer. Veja quantas possibilidades existem no mundo digital:

Como montar uma planilha DRE?

Existem softwares que podem facilitar a análise dos dados, mas pequenos e médios negócios geralmente usam uma planilha DRE. Esse relatório deve detalhar receitas, rendimentos, despesas, custos, encargos e perdas.

Feita a coleta desses dados, é preciso inseri-los em uma tabela, porque a demonstração de resultados prevê uma sequência ordenada de cálculos.

Na primeira parte, são inseridas a previsão de recebimento com as vendas, contas a receber menos as comercializações feitas e outros valores embolsados. Esses itens indicarão o total de entradas do seu negócio.

Em seguida, especificam-se as saídas. Nesse caso, são todas as contas pagas, folha de pagamento, pró-labore, provisionamentos, despesas e manutenções.

No término, o fluxo de caixa apresentará o saldo anterior e o acumulado e o valor de empréstimos, se existir. O resultado é o saldo final. A partir desses dados, consegue-se completar a Demonstração do Resultado do Exercício.

Faça o download dessa planilha de fluxo de caixa, e comece a usar agora mesmo.

Qual é a estrutura de uma planilha DRE?

A estrutura deste documento segue o modelo abaixo:

Receita bruta

(-) deduções

= receita líquida

(-) custo das mercadorias vendidas e serviços prestados

= lucro bruto

(-) despesas com vendas

(-) despesas administrativas

(-) despesas financeiras

= resultado operacional líquido

(+) receitas não operacionais

(-) despesas não operacionais

= resultado antes de Imposto de Renda e contribuição social

(-) provisão de Imposto de Renda e contribuição social

= resultado líquido ou prejuízo líquido

Fica evidente que a demonstração de resultados apresenta os valores da receita bruta de vendas e serviços, as deduções, os impostos sobre as vendas e outros abatimentos.

Nesse cálculo temos a receita líquida. Dela, devem ser diminuídos os custos dos produtos comercializados e serviços prestados para se chegar ao resultado operacional bruto.

Dessa quantia são subtraídas as despesas não operacionais e somadas as receitas não operacionais, o que leva ao resultado operacional líquido, antes de os impostos incidirem.

Com a subtração dos tributos se atinge o resultado líquido antes da participação nos lucros, cujo cálculo é feito sobre o resultado líquido menos o prejuízo dos exercícios anteriores.

Viu como é fácil montar uma planilha DRE? Mas perceba que esse modelo DRE pode mudar um pouco conforme a empresa e suas características, como porte, atividade etc. Desse modo, podem ser acrescentadas ou excluídas linhas dessa estrutura.

Quer um exemplo de DRE?

Então baixe gratuitamente o modelo de planilha DRE [com exemplo de DRE] feito pelas Franquias High Sales com muito Amor.

O que evitar na hora montar a planilha DRE?

Deve-se considerar alguns pontos para evitar erros durante o processo:

  • separe gastos pessoais daqueles que são da empresa;
  • solicite ajuda de profissionais que dominam a gestão e não sinta vergonha sobre isso.

Nesse momento, você também precisa saber que a demonstração de resultados inclui todas as contas do Balanço Patrimonial (BP). Esse relatório foca o valor dos ativos e passivos que o negócio possuía em determinada data. 

Já o documento de que estamos tratando neste post indica o que acontece com a empresa no período, ou seja, onde perdeu, ganhou e gastou.

Você já tem um negócio em andamento? Então veja como melhorar a performance dele:

Como aumentar o faturamento da minha empresa

Exemplo de DRE na prática

Para entender melhor como montar uma planilha DRE veja, a seguir, um exemplo de DRE que pode ser bastante útil para que você construa a do seu negócio:

Exemplo de DRE

Como fazer uma análise da DRE?

A simples elaboração desse documento contábil não traz benefícios para a organização. É necessário saber interpretar os dados para chegar aos indicadores, identificar oportunidades e detectar necessidades de ajustes.

Existem duas formas de fazer a análise da demonstração de resultados:

Análise Horizontal da DRE

Esse viés está embasado na comparação dos resultados de um mesmo indicador em referência a períodos anteriores. Isso significa que os valores confrontados são avulsos. O resultado assinala a evolução da empresa.

Por exemplo: se for analisar o faturamento de modo horizontal, monte uma tabela com os valores de cada período. O primeiro número é a base e aponta a possível evolução do negócio ao longo dos anos.

Para entender melhor, suponha que em um ano a empresa faturou R$ 50 mil e, no período seguinte, chegou a R$ 60 mil. Por esses dados, percebe-se que houve um crescimento de 20% no faturamento da empresa de um ano para o outro.

É importante destacar que a análise horizontal pode ser utilizada para uma avaliação do fluxo de caixa. Nesse caso, você percebe a evolução das contas a pagar e a receber em um período diário, semanal ou mensal. Dessa maneira, é possível antecipar tendências e aprimorar o planejamento.

Análise vertical

Esse nome é proveniente do fato de que os resultados possuem um efeito em cascata, ou seja, de cima para baixo ou vice-versa. Por isso, ela deve considerar os dados de apenas um período, ou seja, de um único ano, semestre ou mês.

A avaliação também pode ser usada para identificar o percentual de participação de um indicador específico nos resultados da empresa. Por exemplo, imagine que em um determinado ano a empresa pagou R$ 7 mil em dívidas.

E que a receita, nesse ano, foi de R$ 60 mil, então R$ 7 mil de dívidas representa cerca de 11,67% do faturamento. Isso evidencia que o percentual das dívidas em relação ao faturamento, nesse momento em específico, tem uma certa representatividade.

A análise vertical é o padrão da Demonstração do Resultados do Exercício, em que um resultado tem valores subtraídos para chegar a outro. Por isso, essa avaliação é indicada para a comparação por linha.

Dessa forma, ela deve ser usada de maneira complementar à avaliação horizontal. Quando o resultado for positivo, significa que você teve lucro. Quando for negativo, significa que teve prejuízo.

Análise vertical ou horizontal: qual a mais importante?

Em um bom modelo de DRE é importante se fazer as duas análises, porque elas permitem que o gestor identifique se houve aumento ou redução das vendas e verifique os custos e despesas de um período para o outro.

Bem como analisar o impacto que cada conta de despesa ou custo teve em relação ao resultado do que foi comercializado. Assim, o demonstrativo de resultados é uma ferramenta importante de gestão, que deve ser obrigatoriamente realizada uma vez por ano.

Porém, torna-se importante elaborá-la resumidamente mais algumas vezes no ano para fazer uma análise mais precisa dos dados. Essa é uma boa maneira de você, como gestor, verificar se o que foi planejado está sendo alcançado e avaliar o nível de vendas.

Dessa forma, conseguir realizar ajustes para melhorar os resultados e até evitar prejuízos maiores ao negócio. Entendeu a importância de fazer as duas análises no seu Demonstrativo de Resultados de Exercício (DRE)?

Pronto para montar um DRE e fazer o seu negócio crescer?

Depois de descobrir o que é DRE, entender a importância de manter uma DRE sempre em dia, conferir um exemplo de DRE e ter acesso a um modelo de planilha DRE e ainda aprender sobre como fazer uma análise de DRE, esperamos que esteja pronto para criar o DRE do seu negócio.

Tenha acesso a mais dicas relevantes para o seu negócio assinando a nossa newsletter! Para empreender é preciso buscar informações, e aprender o tempo todo.

Nos acompanhe nas redes sociais e fique por dentro de todos os lançamentos e novidades. Estamos no Instagram e no YouTube.

e aí, GOSTOU? COMPARTILHE!

vamos CONVERSAR?

Você tem uma ideia que precisa tirar do papel?